A convalescença de Bayard

Registro inventarial: inv. 7473

Pierre Terrail, senhor de Bayard (1476-1524), conhecido
sobretudo pelo apelativo chevalier Bayard, foi uma
personagem da aristocracia francesa, proveniente do
Dauphinois, que se distinguiu nas guerras da Itália. Sua
vida foi objeto de uma obra, célebre romance de cavalaria em
sua época, intitulada Très joyeuse et très plaisante
histoire du gentil seigneur de Bayart, le bon chevalier sans
peur et sans reproche
, de autoria de Jacques de Mailles,
que lutou a seu lado na Itália.

Referido à luz que emana da lua, seu lema é: Accipit ut
det
(“recebe para dar”).

Bayard é reputado por sua bravura militar durante as
campanhas italianas de Carlos VIII, Luís XII, (quando tenta,
em 1510, raptar o papa Júlio II, que se voltara contra os
franceses) e Francisco I. Gravemente ferido em 19 de
fevereiro de 1512 durante o assédio de Brescia, Bayard é
salvo por um burguês dessa cidade que ele, por sua vez,
salvará do saque e da desonra pelos soldados franceses.

Na cena, suas duas filhas entretêm-no com música, sob o
olhar vigilante da mãe que fia, em um ambiente claramente
inspirado na pintura flamenga do século XVII. Um tríptico do
século XIV com uma Crucificação ao centro adorna a cabeceira
de seu leito. Um retábulo com uma Madona com o Menino, outro
pastiche de um “primitivo”, serve de sobreporta sobre o vão
do corredor, ao fundo do qual dois soldados montam guarda
para proteger seu capitão.

Pierre Révoil (1776-1842) apresentou a tela no Salon de 1817
em plena efervescência do estilo troubadour, gênero
que conquista o gosto parisiense sequioso de história
romanesca e de revivescência da grandeza do Ancien Régime,
sobretudo após a restauração aristocrática de 1815.

Sua recepção é definitivamente positiva e a obra é adquirida
pelo Estado. Extraviada entre 1853 e 1892, ela foi
encontrada em 1976 e restituída ao Louvre.

Luiz Marques
18/07/2011

Bibliografia:
1980 – M.-C. Chaudonneret, La Peinture Troubadour, deux
artistes lyonnais, Pierre Révoil (1776-1842), Fleury Richard
(1777-1852), Paris: Arthéna
2000 – A. Caubet, P. Pouysségur, L. A. Prat, L´Empire du
Temps. Mythes et créations. Catálogo da exposição, Paris,
Louvre, p. 200

Artista

RÉVOIL, Pierre

Data

1817

Local

Paris, musée du Louvre

Medidas

135 x 177 cm

Técnica

Óleo sobre tela

Suporte

Pintura

Tema

História Medieval Moderna e Contemporânea

Período

50 - SÉCULO XIX

Index Iconografico

848 - Personagens, famílias, dinastias da história medieval,
moderna ou contemporânea; 848FraBay - Pierre Bayard; 849 - O
imaginário histórico como gênero

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *