Adoração dos Pastores e Cortejo dos Reis Magos

Sobre o sarcófago, lê-se:

Ense cadens. Solymo. Pompei Fului[us] Augur Numen. Ait. Quae me conteg[it] Urna Dabit.

“Caído em Jerusalém pela espada de Pompeu, Fulvi(us), áugure diz: a urna que me contém dará uma divindade”.

O erudito que concebe esta inscrição é Bartolomeo Della Fonte (ou Fontius, ou ainda Fonzio) que, em 1481, com a morte de Francesco Filelfo (1398-1481), substitui-o na cátedra de retórica do Studio florentino. A ele se devem comentários sobre Petrarca, edições e traduções de Demóstenes e Lívio, além de reflexões extraídas das obras históricas de Luciano e César. Em 1484, Fonzio publica os Annales Suorum Temporum, fonte importante para a história política de Florença entre 1448 e 1483.

Na sua Vida de Ghirlandaio, Giorgio Vasari (1550 e 1568) assim descreve esse retábulo para o altar da Cappela Sassetti, que, por assim dizer, coroa o espetacular ciclo de afrescos ali executados pelo artista:

una tavola pur di sua mano, lavorata a tempera, quale ha dentro una Natività di Cristo da far maravigliare ogni persona intelligente, dove ritrasse se medesimo e fece alcune teste di pastori che sono tenute cosa divina.

“um quadro a têmpera também de sua mão representa uma Natividade de Cristo que maravilha toda pessoa inteligente, onde representou a si próprio e fez algumas cabeças de pastores que são consideradas coisa divina”.

Em sua monografia sobre o artista, Ronald G. Kecks [1998:142] comenta justamente que este retábulo:

“deve ser considerado uma das mais altas obras-primas de Ghirlandaio: entre os trabalhos contemporâneos do artista nada existe de comparável à alegria narrativa e à riqueza de metáforas e de símbolos que aqui comparecem. Seria redutor querer explicar estas características somente por suas influências nórdicas. Decerto, ele observou atentamente as obras transalpinas, como se nota nos detalhes, mas consegue rapidamente absorvê-las de modo próprio e pessoal, com aquele senso de harmonia que deriva da tradição florentina”.

Sobre Domenico di Tommaso Bigordi, chamado Domenico Ghirlandaio (1449/1494), assim como sobre seus irmãos, David (1452/1525), Benedetto (1458/1497) e Giovambattista, este último o caçula e menos conhecido, veja se a biografia de Giorgio Vasari (1550 e 1568).

Em sua oração fúnebre a Michelangelo (1564), Benedetto Varchi discorre sobre o pintor, pois é parente distante dos Bigordi, posto que sua mãe foi casada em primeiras núpcias com Benedetto (“eccellentissimo non solo nella pittura, ma eziandio nella milizia” / excelentíssimo não apenas na pintura, mas também nas armas), de onde seu nome de batismo.

Segundo Vasari, Domenico teria frequentado o ateliê de Alessio Baldovinetti, fato confirmado pelos Ricordi de Francesco Baldovinetti, que a ele se refere como discjepolo de Alessio.

O artista representa-se ao lado de seu mestre, do irmão David e do cunhado, Bastiano Mainardi, num detalhe do afresco Joaquim expulso do Templo, em Santa Maria Novella.

Há também indícios documentais e estilísticos que tornam verossímil, tal como assegura Vasari, seu aprendizado como ourives no ateliê de Verrocchio, em interação com Perugino, Botticelli, Leonardo da Vinci, Lorenzo di Credi, Francesco di Simone Ferrucci, entre outros.

Luiz Marques
04/01/2010

Bibliografia
1902 – A. Warburg, “Arte del ritratto e borghesia fiorentina. Domenico Ghirlandaio in Santa Trinita. I ritratti di Lorenzo de´ Medici e dei suoi familiari”. In, La rinascita del paganesimo antico. Contributi alla storia della cultura raccolti da Gertrud Bing. Milão: La Nuova Italia, 2000, pp. 109-146.
1962 – – N. Dacos, “Ghirlandaio et l´antique”. Bulletin de l´Institut Historique Belgique de Rome, 34, pp. 419-455.
1995 – R. Kecks, Ghirlandaio. Catalogo completo. Florença: Octavo, p. 141.

Artista

GHIRLANDAIO, Domenico

Data

1485

Local

Florença, Santa Trinita

Medidas

167 x 167 cm

Técnica

Têmpera sobre madeira

Suporte

Pintura

Tema

Bíblia e Cristianismo

Período

SÉCULO XV

Index Iconografico

606A - Anunciação, Nascimento e Infância de Jesus Cristo; 606A4 - Natividade e Presépio; 606A8 - Adoração dos Pastores; 606A6 - Epifania (Adoração dos Reis Magos)

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *