Alegoria da Sabedoria e da Força (detalhe)

(continuação do texto que acompanha a imagem principal)

As figuras foram dispostas em primeiro plano. À esquerda o espaço parece estender-se em uma paisagem distante, e a luminosidade é a do amanhecer. Na base da coluna está a citação OMNIA VANITAS (Tudo é vaidade). A iconografia da Vanitas, relacionada à fugacidade da vida, tornou-se recorrente durante o século XVII.

Esse quadro pode ser visto como um desdobramento da escolha de Hércules, em que este se submete à Virtude, aqui, com a concepção do Renascimento, associada à Sabedoria.

Veronese, em ambos os quadros, fez referências à escolha do caminho virtuoso, utilizando uma temática, ao mesmo tempo, erótica e moralizante. As duas obras apresentam modelos de iconografia política que foram associados à figura dos governantes, o que justifica o fato de terem pertencido a uma tradição de colecionismo ligada aos soberanos e ao poder. Devemos lembrar a trajetória desses quadros, que pertenceram sucessivamente a Rodolfo II, imperador habsburgo, à rainha Cristina, da Suécia, e posteriormente ao regente da França.

07/06/2011
Maria Antonia Couto

Bibliografia:
1989 – P. Watson. Wisdom and Strength. New York, Doubleday.
1998 – L. Marques (coord.) Catálogo do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand. São Paulo, Prêmio Editorial.
1999 – E. Panofsky. Hércules entre o Vício e a Virtude. Paris, Flammarion.
2003 – Couto da Silva, M. A. “As cópias de Veronese por François Boucher, do acervo do Museu de Arte de São Paulo”. (Dissertação de mestrado), IFCH, UNICAMP, (Prof. Dr. Luiz Marques), Campinas.

Artista

BOUCHER, François

Data

1752c.

Local

São Paulo, Museu de Arte de São Paulo

Medidas

223 x 171 cm

Técnica

Óleo sobre tela

Suporte

Pintura

Tema

Alegorias e Temas Artísticos Morais e Psicológicos

Período

SÉCULO XVIII

Index Iconografico

70 - HÉRACLES/HÉRCULES e seu ciclo; 70G - Hércules na Encruzilhada e símbolo do triunfo da virtude sobre a força e os poderes mundanos; 1100 - Alegorias Intelectuais e Morais

Autor

Maria Antonia Couto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *