Alexandre Magno e Taís

O tema de Alexandre e Taís, raramente representado em
pintura, baseia-se na Bibliotheca historica de
Diodoro Sículo (XVII, 72), na Historiae Alexandri Magni
Macedonis de Quinto Cúrcio Rufo (5,7) e, sobretudo, na
“Vida de Alexandre” de Plutarco, 38.

Antes de marchar contra Dario, já fugitivo, Alexandre
ofereceu um festim no palácio de Xerxes, em Persépolis, a
seus amigos macedônios, para o qual acorreram várias
cortesãs, a mais famosa das quais, Taís, uma ateniense que
sabia particularmente agradar o conquistador.

No calor da embriaguez, ela o persuade a atear fogo no
palácio dos reis da Pérsia, para vingar Atenas, outrora
incendiada por Xerxes. Alexandre inicia o incêndio do
palácio, mas logo se arrepende e manda extingui-lo.

O historiador bolonhês do século XVII, Carlo Cesare
Malvasia, atesta que a obra em questão fazia parte da
decoração encomendada a Ludovico Carracci pelo Marquês
Alessandro Tanari, decoração composta por outros dois
quadros: um “Nascimento de Alexandre” e um “Alexandre e a
esposa de Dario”.

As outras duas obras desapareceram, mas é patente o sentido
dessa trilogia: sobre o pano de fundo do nascimento do
eleito, assiste-se a um contraponto entre dois exemplos de
continência e de incontinência moral do príncipe. Uma
variante, por assim dizer, do tema de Hércules na
encruzilhada (Ercole al bivio), de Pródicos.

Luiz Marques
31/01/2010

Bibliografia
1993 – A. Emiliani, G. Feigenbaum, Ludovico Carracci,
Bolonha, p. 139.

Artista

CARRACCI, Ludovico

Data

1608c. / 1611

Local

New York, Londres, Richard L. Feigen & Co

Medidas

130 x 169 cm

Técnica

Óleo sobre tela

Suporte

Pintura

Tema

Mitologia, História e Topografia Antigas

Período

SÉCULO XVII

Index Iconografico

254.6 - Alexandre e Taís

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *