Aristóteles e Filis

“A imagem de Aristóteles (384-322 a.C), preceptor de
Alexandre Magno, sendo cavalgado por sua amante, Filis, tem
por fonte primeira um relato oriental, transmitido através
de diversos exempla medievais em latim ou de
narrativas em vernáculo conhecidas como Le Lai
d´Aristote
.

Reproduzimos aqui um exemplum medieval anônimo,
apenas para dar uma ideia deste gênero literário:

Aristoteles, cum doceret Alexandrum ut se contineret ab
accessu frequenti uxoris suae, quae erat pulcra valde, ne
animum suum a communi providentia impediret, et Alexander ei
acquiesceret, hoc advertens regina et dolens, coepit
Aristotelem trahere ad amorem suum, quia multociens sola
transibat cum pedibus nudis et dissoluto crine, ut eum
alliceret. Tandem allectus coepit eam sollicitare
carnaliter, quae ait, “”Hoc omnino non faciam, nisi videro
signa amoris, ne me tentes: ergo veni ad meam cameram,
reptando manibus et pedibus, sicut equus me portando, tunc
scio quod non illudes mihi””.

Cui conditioni cum consensisset, illa intimavit hoc
Alexandro; qui expectans apprehendit eum reginam portantem.
Quem cum vellet occidere, ait Aristotles sic se excusando:
“”Si sic accidit seni sapientissimo, ut a muliere deciperar,
potes videre quod bene docueram te, quid accidere potest
tibi juveni.””

Quod audiens rex, ei perpercit, et in doctrina eius
profecit
.

“”Uma vez, Aristóteles ensinou a Alexandre que ele devia
restringir seus contatos com sua esposa, que era muito bela,
de modo a não impedir seu espírito de atingir o bem comum.
Alexandre aceitou o conselho. Percebendo isso e desgostosa,
a rainha começou a seduzir Aristóteles, cruzando muitas
vezes seu caminho com os pés descalços e os cabelos
desalinhados, de modo a atraí-lo. Por fim atraído, ele
começou a solicitá-la carnalmente, ao que ela disse: “”isto
não farei de modo algum, se não vir de sua parte um sinal de
amor. Portanto, venha ao meu quarto pondo-se de quatro, para
me carregar como um cavalo. Assim saberei que você não está
me iludindo””.

Como Aristóteles consentisse em se submeter a tal condição,
a rainha comunicou o fato a Alexandre, que o surpreendeu
carregando a rainha. Como ele quisesse matá-lo, Aristóteles
disse, desculpando-se: “”Se isto aconteceu a mim, um velho
sapientíssimo, que pude ser enganado por um mulher, podes
ver que bem te ensinei, pois isto pode acontecer a ti, que
és jovem””.

O rei ouvindo isto, poupou-o e progrediu em sua doutrina””.

A representação de Aristóteles e Filis é bastante recorrente
nos séculos XV e XVI, sobretudo na pena de artistas
germânicos como o Mestre de Ottobeuren, o monogramista
Mester M.Z. (Bibliothèque Nationale de Paris, inv. Ec. N.
473)) e Hans Baldung Grien (1485c.-1545), que desenhou e
gravou decerto a mais conhecida versão do tema.

A misoginia é o denominador comum de toda uma antologia de
fábulas e relatos burlescos sobre as infinitas astúcias de
que se vale a mulher para enredar o homem e afastá-lo da
virtude.

Luiz Marques
17/01/2012″

Artista

Master of the Housebook

Data

1485c.

Local

desconhecido

Medidas

155 mm

Técnica

Ponta-seca

Suporte

Pintura

Tema

Alegorias e Temas Artísticos Morais e Psicológicos

Período

SÉCULO XV

Index Iconografico

1136 - Aristóteles e sua Filosofia; 1136A - Aristóteles
sendo cavalgado por Filis

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *