Batalha de Nus

Esta gravura de Antonio Pollaiuolo (1432c. – 1498), de tema
impreciso, representa um ápice de cinetismo e tensionamento
das musculaturas na história da arte. Já Vasari bem
discernira como Pollaiuolo:

fu il primo a mostrare il modo di cercare i muscoli, che
avessero forma e ordine nelle figure

“foi o primeiro a mostrar o modo de representar os músculos,
dotando-lhes de forma e ordem nas figuras”.

Conservada em mais de 40 exemplares (apenas o Museu de
Cleveland conserva uma impressão do primeiro estado), a
Batalha de nus, com a inscrição OPUS ANTONII POLLAIOLI
FLORENTINI, é decerto uma referência importante para a arte
florentina de finais do século XV, inclusive para
Michelangelo, independentemente de sua iconografia e datação
muito controversas.

Tentativas diversas de determinar seu tema permanecem apenas
conjecturas. As referências antigas na obra, a se admitir
que existam, permanecem apenas motívicas e alla maniera
antica
, isto é, basicamente intangíveis, inclusive do
ponto de vista do tema. Cena da série de Hércules ou da
história de Titus Manlius Torquatus, nenhuma proposta é
convincente e Agosti e Farinella [1987:23-24] notam quão
infrutíferos têm sido também os esforços de identificar
modelos antigos nestas figuras. Cf. Ettlinger [1978:146].

A datação da gravura é igualmente árdua. Data-se-a em geral
de um momento anterior a 1468, pois um exemplar dela teria
pertencido ao pintor paduano, Francesco Squarcione, morto
nessa data. Cf. Lazzarini [1908:295].

Esse terminus ante quem proposto em 1908 por
Lazzarini foi aceito pela maioria dos estudiosos. De seu
lado, Fusco [1979:257-263] propõe datar a gravura não antes
de 1489 sobre a base de sua suposta dependência do grupo
marmóreo pergameno, os Três Faunos em luta com a
serpente
*. Esta datacão mais tardia foi aceita por
Draper [1992:225].

As mesmas questões suscitadas pela gravura retornam no menos
conhecido desenho de Pollaiuolo (205 x 435 mm) nas coleções
régias de Windsor, representando outra Batalha de Nus*.

Luiz Marques
08/01/2011

Bibliografia:
1908 – V. Lazzarini, “Documenti relativi alla pittura
padovana del secolo XV”, Archivio Veneto, XV, pp. 295-296
1978 – L.D. Ettlinger, Antonio and Piero Pollaiuolo.
Complete edition with a Critical Catalogue. Londres: Phaidon
1979 – L. Fusco, “Antonio Pollaiuolo´s use of the Antique”.
Journal of the Warburg and Coutauld Institutes, 42, pp. 257-
263.
1987 – G. Agosti, V. Farinella, Michelangelo e l´arte
classica. Catálogo da Exposição. Florença, Casa Buonarroti.
Florença: Cantini, pp. 23-24.
1990 – P. Lee Rubin, A. Wright (with contributions of N.
PENNY), Renaissance Florence. The Art of the 1470s. Catálogo
da exposição. National Gallery, Londres, pp. 257-259.
1992 – J.D. Draper, Bertoldo di Giovanni. Sculptor of the
Medici Household. Critical Reappraisal and Catalogue
Raisonné. Columbia e Londres: University of Missouri Press,
p. 225.
1994 – N. Pons, I Pollaiolo. Catalogo Completo, Florença:
Octavo, p. 19.
2001 – M. G. Vaccari, Pollaiolo e Verrocchio? Due ritratti
fiorentini del Quattrocento, Florença, p. 56.

Artista

POLLAIUOLO ou POLLAIOLO, Antonio

Data

1468(ante) ?

Local

Florença, Galleria degli Uffizi

Medidas

398 x 587 mm

Técnica

Água-forte

Suporte

Pintura

Tema

Mitologia, História e Topografia Antigas

Período

SÉCULO XV

Index Iconografico

140 - Lutas e outros esportes marciais

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *