Busto de jovem escravo negro com arco

Registro inventarial: inv. 82.3

Expoente, ao lado de Nicolas de Largillierre, do retrato
francês no século de Luís XIV, Hyacinthe Rigaud (1659-1743)
distingue-se justamente por sua perícia na construção do
retrato de corte ou portrait d´apparat, na direta
tradição da retratística de Van Dyck.

A tal título é sobre todos célebre seu monumental Louis
XIV em costume de sacre
(Louvre, assinado: Peint par
Hyacinthe Rigaud en 1701
), destinado a seu neto, Filipe
V, rei de Espanha.

Mas será, paradoxalmente, neste contemporâneo retrato de um
menino africano que Rigaud mostra uma insuspeitada
intimidade de diálogo com o modelo, ao lado de uma sutileza
na construção das relações figura / fondo, jamais atingidas
em seus ritualísticos retratos de corte.

Tudo aqui gravita em torno do espetacular branco leitoso do
turbante – que anuncia os de Subleyras – e é construído em
continuidade tonal, com passagens e contrastes de infinita
delicadeza. A cabeça do jovem se recorta sobre uma parede de
tonalidade muito aproximada, com uma aura de luz apenas
perceptível à volta de sua silhueta.

A intensidade do olhar é intensificada pela umidade dos
olhos injetados e a expressão é de uma tristeza ao mesmo
tempo profunda e apenas perceptível.

O cetim principesco das vestes e o arco demonstram que se
trata de um servo de um grande senhor, tal como o pajem que
acompanha o príncipe de Conti em seu perdido retrato de
1697, conhecido hoje apenas por uma gravura. Jovens escravos
africanos eram trazidos à Europa justamente para emprestar
às cortes um aspecto de fasto oriental e não se deve
descartar a hipótese, aventada pelos autores do catálogo
abaixo citado, de que esta figura seja um modelo para este
retrato do pretendente ao trono da Polônia.

Mas o tour de force do retrato é decerto o colarinho
de cobre ou de prata, do qual pende uma corrente, pelo qual
se certifica o estatuto de escravo deste adolescente e no
qual se vem refletir com uma maestria inigualável o salmão
do forro de sua veste.

Luiz Marques
12/01/2012

Bibliografia
2004 – E. Delapierre, M. Gilles, H. Portiglia, Rubens contre
Poussin. La querelle du coloris dans la peinture française à
la fin du XVIIe siècle. Catálogo da exposição, Arras,
Épinal, Paris: Ludion, p. 175.

Artista

RIGAUD, Hyacinthe

Data

1697c. / 1700c.

Local

Dunkerque, Musée des Beaux-Arts

Medidas

56x 43 cm

Técnica

Óleo sobre tela

Suporte

Pintura

Tema

A Figura Humana Retratos e Caricaturas

Período

SÉCULO XVII

Index Iconografico

1210 - Representações Etnográficas; 1210Neg - Negros; 1546 -
A Escravidão negra; 1558 - O Escravo na Cidade; 1700C -
Retratos Pintura; 1700C1 - Retratos contemporâneos

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *