Capa do Evangeliário Lindau

Localização inventarial: Ms. M. 1

Primeira aquisição importante, em 1901, de Pierpont Morgan no domínio dos manuscritos medievais, o Evangeliário Lindau foi decorado com iluminuras na abadia de Saint Gall, na Suiça.

Sua capa com dez relevos em ouro repoussé e variadas pedras preciosas é tão excepcional quanto sua decoração pictórica. Trata-se de uma das três obras de ourivesaria conservadas da Escola da Corte de Carlos o Calvo, neto de Carlos Magno.

A imagem introduz diversos elementos na iconografia da Crucificação. Um deles é a presença de oito anjos esvoaçantes como figuras de lamentação, que se tornarão sucessivamente emblemáticos nesta iconografia.

Outro elemento novo é a personalização das figuras do Sol e da Lua, signos de conjunção cósmica e de transformação da luz em trevas durante a Crucificação, presentes desde o Evangelho de Rabbula* (586) na Biblioteca Mediceo-Laurenziana de Florença.

Segundo Musto, este motivo mantém relações com o tratado Periphyseon de Scot Erígena, e em especial com sua peculiar escatologia.

Luiz Marques
09/05/2010

Bibliografia:
2001 – J.-M. Musto, John Scottus Eriugena and the Upper Cover of the Lindau Gospels, Gesta, 40, 1, p. 1 e seg.

Artista

Anônimo

Data

880c.

Local

New York, The Pierpont Morgan Library and Museum

Medidas

36 x 26, 7 cm

Técnica

ouro repoussé

Suporte

Artes decorativas

Tema

Bíblia e Cristianismo

Período

OCIDENTE MEDIEVAL

Index Iconografico

610 - Crucificação e Imagens do Gólgota

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *