Cenas do Gênese

Na Vida de Michelangelo, Giorgio Vasari (1568) assim inicia a descrição dos afrescos da abóbada da Capela Sistina:

“As divisões desta obra distribuem-se pelos seis penachos da abóbada em cada lado, e por um em cada uma das duas extremidades, nos quais Michelangelo pintou Sibilas e Profetas de seis braças de altura; no centro, desde a Criação até o Dilúvio e a Embriaguez de Noé, e nas lunetas, toda a genealogia de Jesus Cristo.

Em tais divisões não usou ordem alguma de perspectivas ou de escorços, nem ponto de vista fixo, mas acomodou mais as divisões às figuras que estas às divisões, bastando executar os nus e os vestidos com um desenho de uma perfeição que não se atingiu, nem se pode atingir, sendo no máximo possível, com esforço, imitá-lo. Esta obra tornou-se e permanece o farol de nossa arte, e tanto beneficiou e trouxe luz à pintura, que bastou para iluminar o mundo, após centenas e centenas de anos imerso em trevas”.

Os afrescos da abóbada da Capela Sistina devem ser considerados, de fato, como uma epopeia em cinco cantos, que narram:

(1) a Separação dos Elementos, a criação do Cosmos e da Natureza (3 cenas);

(2) a unidade de Deus e do Homem (2 cenas: criação de Adão e de Eva);

(3) a ruptura do pacto (cena do Pecado Original e da Expulsão do Paraíso);

(4) a destruição do gênero humano (o Dilúvio) e

(5) a reconstituição da aliança, com Noé, que antecipa a Lei mosaica (2 cenas: Sacrifício e Embriaguez de Noé).

As nove cenas do Gênese na abóbada são a parte inicial dos ciclos decorativos presentes na Capela, cuja significação é messiânica e escatológica, concluindo-se com o Juízo Final.

Os quatro ciclos de afrescos da Capela – o Gênese, a História de Moisés, o Evangelho e o Juízo Universal – perfazem as etapas de uma tetralogia teo-cosmogônica em que se desenham a origem, a separação do homem em relação a Deus, a Encarnação do Verbo e o retorno de Deus, a parousia.

Sua referência primeira é a Epístola aos Romanos, 5-8 de Paulo, que introduz a oposição entre Lei e Graça, de modo que se pode entendê-la como a história do homem antes da Lei de Moisés, sob a Lei de Moisés e sob a Graça de Cristo (ante legem, sub lege e sub gratia), movimento ternário correspondendo aos três ciclos narrativos do programa sistino, cujo desenlace seria o quarto momento, o Juízo Final, anunciado pela Igreja de Pedro e Paulo, cuja obra é descrita nos Atos dos Apóstolos, tema das tapeçarias de Rafael com o qual se conclui o ci

Artista

Michelangelo Buonarroti

Data

1508/ 1512

Local

Vaticano, Capela Sistina

Medidas

desconhecidas

Técnica

Afresco

Suporte

Pintura

Tema

Bíblia e Cristianismo

Período

36 - SÉCULO XVI

Index Iconografico

500 - Decorações de tetos, abóbodas, paredes e pavimentos: emblemas, motivos geométricos, cosmatescos, etc.; 502 - Capelas; 514 - Gênesis

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *