Descida da Cruz

Localização inventarial: inv. 1890, n. 511

Os quatro Engelhos mencionam a permissão dada a José de
Arimateia por Pilatos para retirar o corpo de Cristo da
cruz, prepará-lo para o rito do sepultamento e sepultá-lo.

Segundo G. Millet, Émile Mâle e Louis Réau (1957), a
iconografia da Descida da Cruz é de origem bizantina e surge
no século IX. Ela fixa-se rapidamente nos atores
fundamentais do drama, encenado, de resto, também nas sacras
representações dos séculos XII e XIII: José de Arimatéia,
Nicodemo, S. João, a Virgem e a Madalena.

João (19,38-42), apenas, menciona também, entre os que
descem Jesus da cruz, a presença de Nicodemo, “aquele que
anteriormente procurara Jesus à noite”. A José de Arimatéia,
homem de condição social elevada, cabe em geral a posição de
segurar a parte superior do corpo de Cristo e a Nicodemo, os
pés (há notáveis exceções). Bacchiacca observa esta regra ao
colocar Nicodemo na escada da esquerda e José de Arimateia,
na da direita, em posição superior.

Curiosamente, Bacchiacca figura também, fato raro, talvez
único, na iconografia da cena, a descida da cruz dos dois
ladrões, sendo de se supor que o mau ladrão seja o que jaz
por terra, não assistido por ninguém.

A obra de Bacchiacca encontrava-se no século XVI em S. Maria
degli Angeli, em Florença. A composição depende do modelo da
Descida da Cruz* em cera de Jacopo Sansovino (1486 – 1570),
no Victoria and Albert Museum de Londres, bastante copiado
em Florença.

Pode-se cogitar se Michelangelo não tenha em mente esse
modelo quando, por volta de 1523, retoma o tema da Descida
da Cruz possivelmente para uma pintura prometida ao cardeal
Domenico Grimani, decerto não executada (dada a morte do
comitente em 1523), mas conhecida por um desenho* no Teylers
Museum de Haarlem.

Francesco Ubertini, chamado Bacchiacca (1494 – 1557) é um
florentino pintor, formado sob Perugino e que evolui,
sobretudo nos anos dessa Descida da Cruz, na órbita de
Franciabigio (1482 – 1525) e de Andrea del Sarto (1486 –
1531). De temperamento delicado e graciosamente anti-
clássico, foi ele capaz de conjugar em suas obras elementos
de estilo e composição oriundos dos grandes mestres da
maniera florentina e da gráfica nórdica, com
estilemas próprios e muito característicos (sobretudo no que
se refere à tipificação fisionômica), sem, contudo,
reelaborá-los em um universo poético fortemente pessoal.

Luiz Marques
17/07/2010

Bibliografia:
1996 – C. Colbert, Bacchiacca, The Grove Dictionary of Art,
ad vocem.

Artista

BACCHIACCA, Francesco Ubertini, chamado Il

Data

1520circa

Local

Florença, Galleria degli Uffizi

Medidas

93 x 71 cm

Técnica

Óleo sobre madeira

Suporte

Pintura

Tema

Bíblia e Cristianismo

Período

36 - SÉCULO XVI

Index Iconografico

611 - Descida e Deposição da Cruz

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *