Descida da Cruz (desenho preparatório 1)

(continuação do comentário ao afresco)

Registro inventarial: inv. n. 1528

É certo que com a decoração da Capela Orsini, e em
particular com o afresco da “Deposição”, terminado em 1547,
Daniele da Volterra liberava-se do estatuto de “auxiliar” de
Perin del Vaga (gestor máximo da herança de Rafael em Roma,
inclusive nos afrescos da Sala Paolina do Castel
Sant´Angelo, destes mesmos anos 1545-1547) e se erguia à
posição de primus inter pares no círculo de artistas
da órbita de Michelangelo, posição então ambicionada pelo
próprio Vasari.

Mortos em 1547 Perin del Vaga e Sebastiano del Piombo, e com
o aprofundamento da amizade entre Michelangelo e Daniele da
Volterra, consolida-se a posição deste último. A “Deposição”
aparecerá, assim, como a mais digna herdeira do “Juízo
Final” de Michelangelo na Capela Sistina, que se tornara
público em 1541.

Poucos anos depois da publicação da nova redação das “Vidas”
de Vasari (1568), que incluía a “Vita di Daniello
Ricciarelli” acima citada, Giovan Battista Armenini, em seu
De veri precetti della pittura (1587), retornava a
este afresco com um comentário que o consagra como a obra-
prima de Daniele, em meio a um declínio geral da arte:

avendo fatto com molto suo onore e riputazione quella
mirabil capella dipinta in fresco, ch´è nella Chiesa della
Trinità sul Monte, di commissione della signora Elena
Orsina, della quale seguendo il nome, vi ritrasse molti
fatti di Santa Elena, e nella tavola di mezzo fece Cristo
deposto di croce da Giuseppe e Nicodemo, opera veramente
molto difficile e così ben fatta, che può stare a paragone
di quante ne sono in Italia di questo genere.

Non arrivò poscia mai più di un gran pezzo a questo segno
nell´altre opere che fece dapoi, essendo insieme con l´arte
che tuttavia vedeva mancare, mancato ancor egli, rispetto
alla sudetta opera, sopra modo di studio e di diligenza
.

“tendo executado, para sua muita honra e reputação, aquela
admirável capela pintada em afresco na igreja de Trinità sul
Monte, por encomenda da senhora Elena Orsini, onde, a partir
de seu nome, representou muitos feitos de S. Helena e na
imagem central o Cristo deposto da cruz por José e Nicodemo,
obra verdadeiramente muito difícil e tão bem feita, que pode
ser equiparada às melhores deste gênero na Itália. Não se
aproximou nem de longe deste marco em suas obras sucessivas,
em termos de estudo e diligência, tendo, junto com a arte
que entrementes via morrer, morrido ele também”.

A admiração suscitada pela obra era manifesta também por
Raffaele Borghini (1584), mas antes de mais nada pelos
próprios artistas do século XVI, tais como Francesco
Salviati, Jacopino del Conte, Tintoretto, Barocci, Taddeo
Zuccari e Annibale Carracci, que a copiam ou a “citam” em
suas próprias obras.

(continua no comentário aos desenhos 2 e 3 preparatórios
desta obra)

Artista

Daniele da Volterra (Daniele Ricciarelli, dito)

Data

1541

Local

Paris, musée du Louvre

Medidas

400 x 280 mm

Técnica

pena e tinta marrom

Suporte

Pintura

Tema

Bíblia e Cristianismo

Período

36 - SÉCULO XVI

Index Iconografico

611 - Descida e Deposição da Cruz

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *