Díptico de Casal

Pertencente a uma família de pintores da Flandres meridional, Joos van der Beke aliasvan Cleve (nascido em Cleves em data ignorada e morto entre novembro de 1540 e abril de 1541) não possui uma identidade artística nitidamente estabelecida, em decorrência sobretudo da escassez de obras monogramadas (apenas três), da inexistência de assinaturas por extenso e do esquecimento de que foi vítima sua obra logo após sua morte.

Forma-se ele com Jan Joest e está já ativo a seu lado em 1505 na decoração do altar-mor da igreja de S. Nikolai, em Kalkar, perto de Düsseldorf. Numa das abas do retábulo deste altar, uma Ressurreição de Lázaro, Joos van Cleve deixa seu autoretrato (Bialostocki, 1972).

Já em 1511, Joos van Cleve é mencionado em Antuérpia, cidade onde desenvolverá a maior parte de sua atividade, tornando-se um dos expoentes do assim chamado maneirismo de Antuérpia.

É crescente neste período a atividade de van Cleve como retratista, atividade em que se insere este duplo retrato de esposos, outrora identificado como um auto-retrato na ocasião de seu casamento.

A data de 1520 é legível no retrato da esposa.

Luiz Marques
29/11/2010

Bibliografia
1991 – C. Scailliérez, Joos van Cleve au Louvre. Catálogo da exposição, Paris, p. 62

Artista

CLEVE, Joos van

Data

1520c.

Local

Florença, Galleria degli Uffizi

Medidas

51 x 42 cm cada

Técnica

Óleo sobre madeira

Suporte

Pintura

Tema

A Figura Humana Retratos e Caricaturas

Período

36 - SÉCULO XVI

Index Iconografico

1700C - Retratos Pintura; 1700C1 - Retratos Contemporâneos

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *