Final de jogo

Com essa obra de bela sensibilidade naturalista, pertencente de pleno à matriz holandesa da vida na taberna e inspirada mais diretamente, talvez, na Briga de Ernest Meissonier (1855, coleções régias inglesas), Carlos Chambelland obtém no Salão de 1907 o prêmio de viagem que lhe consente a ambicionada viagem a Paris.

De origem francesa e irmão mais novo de Rodolfo Chambelland (1879-1967), Carlos é filho de um comerciante de vinhos imigrado ao Rio de Janeiro. O longo magistério de Zeferino da Costa alcança-o ainda em 1901, quando se inscreve como aluno livre na Escola Nacional de Belas Artes, onde recebe sua formação igualmente de Rodolfo Amoedo.

Luiz Marques
28/04/2010

Bibliografia

2001 – L. Marques, 30 Mestres da Pintura no Brasil, catálogo da exposição, Rio de Janeiro, Museu Nacional de Belas Artes, p. 120

Artista

CHAMBELLAND, Carlos

Data

1907

Local

Rio de Janeiro, Museu Nacional de Belas Artes

Medidas

102 x 150 cm

Técnica

Óleo sobre tela

Suporte

Pintura

Tema

Vida Social e Gênero

Período

O SÉCULO XX NA AMÉRICA HISPÂNICA E NO BRASIL

Index Iconografico

1483 - Brigas e rixas de taberna

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *