Frons animi interpres

Registro inventarial: inv. 106

A obra insere-se bem no naturalismo ou verismo da segunda metade do século, e em especial no gênero penumbroso dos interiores de igreja com foco no estudo fisiognomônico dos fiéis e de suas diversas expressões de ardente experiência religiosa.

Na esteira de Giacomo Favretto (1849-1887), Cesare Laurenti (1854-1936) explora a temática de modo talvez mais irônico e mais atento à situação psicológica em jogo. Chama a atenção o fato peculiar, haja vista sobretudo o título do quadro (a fronte, interprete da alma), de que a personagem principal esconde o rosto, sendo observada com despudorada curiosidade pela figura algo vulgar do primeiro plano, provavelmente uma cigana. De resto, para alguns estudiosos, citados por Pistellato, tal interesse seria despertado menos pela situação de desespero que pela cobiça do suntuoso bracelete da jovem.

Em cada uma das fisionomias, declarar-se-ia uma faceta do título do quadro, sendo o da figura principal superlativamente sugerida pelo ocultamento do semblante, alusão implícita ao topos da transcendência da dor extrema, consoante a passagem de Plínio sobre o ocultamento do rosto de Agamemnon, cujo sofrimento pelo sacrifício de sua filha, Ifigênia, seria irrepresentável.

Luiz Marques
17/06/2011

Bibliografia
1995 – P. Pistellato, Arte d´Europa tra due secoli: 1895-1914. Trieste, Venezia e la Biennale. Catálogo da exposição, Trieste, Museo Revoltella, p. 104

Artista

LAURENTI, Cesare

Data

1890

Local

Trieste, Museo Revoltella

Medidas

200 x 256 cm

Técnica

Óleo sobre tela

Suporte

Pintura

Tema

Vida Social e Gênero

Período

50 - SÉCULO XIX

Index Iconografico

1352 - O Clero e a Religião; 1355 - Internos de igrejas; 1356 - A Oração; 1310 - O Cigano, a Cigana e a Leitora de Boa Fortuna

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *