Hércules entre o Vício e a Virtude (detalhe 1)

“(continuação do texto que acompanha a imagem principal)

Sobre os originais, a monografia de Peter Watson, de 1989, elucidou a trajetória do quadro “”Alegoria da Sabedoria e da Força””, e ao tratar desta também narrou a história da obra “”Hércules entre o Vício e a Virtude””, desde sua criação em Veneza até o destino final na coleção de Nova York. O autor, ao estudar os originais de Veronese, revelou também informações importantes em relação às cópias feitas por Boucher.

As alegorias realizadas provavelmente para Rodolfo II estão entre as obras-primas de Veronese. O quadro “”A escolha de Hércules”” ou “”Hércules entre o Vício e a Virtude”” é uma variação sobre uma temática cara aos pintores do Renascimento.

De acordo com o ensaio de Erwin Panofsky, o mito da escolha de Hércules é narrado por Pródico e sua versão mais antiga foi transmitida por Xenofonte, em “”Memorabilia””, II, 1, 21-33: Hércules, jovem, repleto de dúvidas, estava refletindo em um local isolado e não muito preciso. Surgem duas mulheres que se dirigem a ele, procurando arrebatar o jovem, prometendo, cada uma a seu modo, conduzi-lo à felicidade. A primeira, que representa o Vício, promete um caminho mais agradável e fácil, por sua alegria e ociosidade; a segunda, associada à Virtude, indica uma trajetória longa e difícil, repleta de privações e perigo. A escolha de Hércules é conhecida: ele decide-se pela Virtude.

O personagem assumiu uma surpreendente multiplicidade de papéis no campo filosófico, em textos ligados aos pitagóricos, estóicos e sofistas, sendo sua trajetória utilizada como uma metáfora da condição humana.

(continua no texto que acompanha a imagem, detalhe 2)

Artista

BOUCHER, François

Data

1752c.

Local

São Paulo, Museu de Arte de São Paulo

Medidas

223 x 171 cm

Técnica

Óleo sobre tela

Suporte

Pintura

Tema

Alegorias e Temas Artísticos Morais e Psicológicos

Período

SÉCULO XVIII

Index Iconografico

70 - Héracles / Hércules e seu ciclo; 70G - Hércules na Encruzilhada e símbolo do triunfo da virtude sobre a força e os poderes mundanos

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *