La siesta.

La siesta, revelação do interior da morada de uma família aristocrática e retrato feminino, é uma obra emblemática da pintura cubana do século XIX. Seu interesse pela vida domestica é precoce e não retorna senão nos pincéis dos pintores da vanguarda no século seguinte.

O costume ibérico de uma soneca preguiçosa depois do almoço (La siesta) é a ocasião escolhida pelo artista para retratar esta dama cuja identidade não se conservou. A arquitetura é pouco explorada pelo artista, funcionando apenas como marco da cena para dar as dimensões do espaço e a confirmação da classe social da retratada. A obra dialoga com o espetador em três tempos: espaço interior doméstico, representação do ócio feminino e espaço exterior (paisagem marinha).

O conjunto de elementos e sua disposição na cena sugerem um momento de intimidade inspirados numa experiência vivenciada pelo pintor, a transparência dos tecidos que vestem a figura a delicadeza de seus traços com o minimo de elementos dão a ideia de uma relação afetiva com seu modelo.

(Continua)

Monica Villares Ferrer, Metre em História da Arte.
14/05/2010.

Artista

COLLAZO, Guillermo (1850/1896)

Data

1886

Local

Havana, Museo de Bellas Artes

Medidas

76,5 x 58,5 cm

Técnica

Óleo sobre tela

Suporte

Pintura

Tema

Vida Social e Gênero

Período

O SÉCULO XIX NA AMÉRICA HISPÂNICA E NO BRASIL (A PARTIR DE 1822)

Index Iconografico

1380 - A Residência e a Família Aristocrática; 1434 - O devaneio; 1700C1 - Retratos contemporâneos

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *