Lamentação sobre o Cristo morto

A cena da Lamentação sobre o Cristo morto não representa uma passagem dos Evangelhos. Ela se intercala entre a Descida da Cruz e o Sepultamento, narradas em ato contínuo por Mateus (27,57-60), Marcos (15,43-46), Lucas (23,5053) e João (19,38-42).

Dela participam, em geral, a Virgem, a Madalena e João. Mas pode ocorrer também a presença de José de Arimatéia, Nicodemo e das mulheres pias, dada a contiguidade com a Descida da Cruz (Index 611) e com o Sepultamento (Index 616). Além disso, ela pode reduzir-se à lamentação solitária da Virgem, caso em que temos uma Pietà (Index 613). Não é segura, no presente caso, a identificação da figura masculina: José de Arimatéia ou S. João Evangelista.

A obra é tão estreitamente ligada à mesma cena pintada por Jacopo Tintoretto (1518-1594) para decorar uma luneta para a corte das Procuratie de Veneza (Milão, Pinacoteca di Brera), que Von der Bercken (1942) considerou a pintura do Masp – quando ainda na coleção Contini Bonacossi – um “esboço” ou uma obra “de algum modo antecedendo a Pietà Brera, datada 1563”. Esta atribuição foi reiterada por P. Toesca em uma carta a P.M. Bardi, datada de 11 de julho de 1947, situando-a “entre as obras mais belas e inusuais do período juvenil do mestre”. Giorgio Pudelko (carta a P.M. Bardi, de 24 de julho de 1947) também insiste em uma datação em torno de 1545. Já Giuliano Briganti (carta a P.M. Bardi, não-datada), prefere datá-la entre 1560 e 1570, dadas suas relações com a mencionada luneta da Pinacoteca di Brera, para a qual Tintoretto recebe um pagamento em 1563. Briganti considera-a, portanto, uma versão mais tardia dessa luneta. A proposta de Briganti foi adotada também por De Vecchi (1970, p. 103, No. 155b). Há outras versões coevas dessa composição, no Escorial, na Gallerie dell`Accademia (1559-1560), no Wallraf-Richartz Museum de Colônia e em coleções privadas em Milão e em Veneza (coleção Brass), já mencionadas por Briganti e Pallucchini.

As obras de Milão e de São Paulo não representam, contudo, a mesma cena, pois a luneta de Brera é uma Descida da Cruz. Tintoretto situa a cena do Masp em um espaço distendido, ao fundo do qual se descortina uma paisagem crepuscular de grande riqueza tonal.

Bibliografia

1970 – P. De Vecchi, L´Opera completa del Tintoretto. Milão, Rizzoli, p. 103, n. 155b
1982 – R. Pallucchini, Tintoretto. Le opere sacre e profane, Milão, Electa, 1994, vol. I, p. 185
1998 – L. Marques, Catálogo do Museu de Arte de São Paulo, São Paulo, vol. I, p. 87

Artista

TINTORETTO, Jacopo

Data

1565c.-1570

Local

São Paulo, Museu de Arte de São Paulo

Medidas

95 x 140 cm

Técnica

Óleo sobre tela

Suporte

Pintura

Tema

Bíblia e Cristianismo

Período

36 - SÉCULO XVI

Index Iconografico

612 - Lamentação sobre o Cristo Morto; 613 - Pietà

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *