Madonna dell´Impannata, ou Madona com o Menino, Santa Catarina, Santa Isabel e S. João Batista

Registro inventarial: inv. n. 94

Segundo Vasari, a pintura foi executada para o banqueiro florentino Bindo Altoviti. Ela representa uma Sacra Conversação com a Madona e o Menino, Santa Isabel, Santa Catarina e o pequeno João Batista. O nome pelo qual é conhecida, Madonna dell´Impannata, deriva da tela aposta à janela que filtra e colore a luz vinda do aposento ao fundo:

Così per campo vi è un casamento, dove egli ha finto una finestra impannata che fa lume alla stanza, dove le figure son dentro [Vasari, 1568, Ed. Milanesi, IV:352].

“Assim ao fundo, há um aposento onde ele [Rafael] representou uma janela com uma tela que dá luz ao ambiente em que as figuras se encontram”.

A datação da pintura é controvertida, colocada num arco de tempo que varia de 1512 [Oberhuber, 1999:235] a 1516 [Pope-Hennessy, Ferino-Pagden]. Acredita-se que sua ideação se deva inteiramente a Rafael (1483-1520) e que a execução possa ser atribuída ao ateliê.

Passavant [1839:394] já observara o afastamento estilístico do mestre, que é visto nas cabeças do Menino e da Santa Isabel [Fischel, 1948:364 e Ciaranfi, 1955:48] ou em toda a figura de Jesus [Ferino-Pagden e Zancan]. Aceita-se ainda sua intervenção final pelo cromatismo dos tecidos e das carnações.

Para a execução, a crítica divide-se entre Giovanfrancesco Penni (1496c.-1566) e Giulio Romano (1499?-1546) ou atribui a cada um deles a realização de uma parte do painel. Cavalcaselle e Crowe [1883] e Venturi [1891] atribuem a Giulio a zona direita, nas figuras da Madona, do Menino e do São João interpretado em chave plástica. Já a parte esquerda vem referida a Penni, com as duas santas pintadas com pinceladas mais desfocadas e delicadas.

De modo geral, pode-se aproximar a impostação dos grupos num interno doméstico a soluções que Giulio Romano empregará em suas próprias obras desta temática. Outro aspecto da fatura deste artista é a interpretação do rosto de Isabel, não apenas pelo tratamento “realista” da pele, mas pela diluição de seu perfil na sombra (profile perdue).

Letícia Andrade
25/01/2011

Bibliografia:
1568 – G. Vasari. Vite, ed. Milanesi,1906, IV, p. 351-352
1839 – J.-D. Passavant. Rafael von Urbino und sein Vater Giovanni Santi, 3 vols. Leipzig, II, p. 394
1869 – F.-A. Gruyer. Les Vierges de Raphael et l´iconographie de la Vierge, 3 vol. Paris, III, p. 336
1882-1883 – J. A. Crowe e G. B. Cavalcaselle. Raphael, Life and Works. Londres, II, p. 135
1895 – H. Dollmayr. “Raf

Artista

Rafael (e ateliê)

Data

1512-1516c.

Local

Florença, Galleria Palatina, Palazzo Pitti

Medidas

158 x 125 cm

Técnica

Óleo sobre madeira

Suporte

Pintura

Tema

Bíblia e Cristianismo

Período

36 - SÉCULO XVI

Index Iconografico

711 - A Virgem com o Menino; 712A - A Virgem com o Menino Jesus e Santos (Sacra Conversação); 806CatA - Santa Catarina de Alexandria; 806Isab - Santa Isabel; 602.26 - S. João Batista Menino

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *