Mecenas apresentando as Artes a Augusto

Patrício romano, de origens etruscas, pertencente provavelmente à gens dos Cilni de Arezzo (talvez sua cidade natal), Gaio Cilnio Mecenas (69c. – 8 a.C) foi figura proeminente na consolidação do principado de Augusto, de quem é fidelíssimo colaborador desde ao menos a batalha de Filipe, em 42 a.C.. Homem de letras, sua atividade surge para a posteridade sobretudo como promotor de um círculo de poetas que enaltecem Augusto, entre os quais Propércio e Virgílio, que lhe dedica as Geórgicas e que em 38 lhe apresenta Horácio, o qual, por sua vez, dedicar-lhe-á os primeiros três livros das Odes.

O quadro é um pendant do Império de Flora* (San Francisco, Museum of Fine Arts), encomendados ambos a Tiepolo por Francesco Algarotti para o conde Heinrich Brühl, ministro e conselheiro artístico de Frederico-Augusto II, Príncipe-Eleitor da Saxônia e Rei da Polônia (Augusto III). Em carta datada de 19 de julho de 1743 (apud Loire, Los Llanos), Algarotti escreve a Brühl: “Tomei a liberdade, Senhor, de encomendar dois quadros para Vossa Excelência. Um representará as Belas Artes levadas por Mecenas ao trono de Augusto, e ao longe, além do Tibre, ver-se-á o palácio de Vossa Excelência e seus hortos pênseis”.

Ao lado de Mecenas, vê-se um poeta, possivelmente Virgílio. No centro da composição, secundando as três figuras das Belas -Artes, vêem-se o Tempo e a Fama. As estátuas de Minerva e Apolo, divindades tutelares do reinado de Frederico II, evocam sem dúvida a Escola de Atenas* de Rafael.

Esses dons encomiásticos, com suas óbvias alusões a Brühl como novo Mecenas, a Frederico-Augusto II como novo Augusto, e a Dresden como nova Roma, reforçavam as gestões de Algarotti para obter o cargo de “Surintendant des Bâtiments et Cabinets du Roi”, objetivo não-atingido. O grande crítico e amateur veneziano conservava ricordi das duas obras em desenhos aquarelados de Tiepolo, gravados em 1766 por Giacomo Leonardis. Um desses ricordi conservar-se-ia no Musée d´Agen.

O tema é, até onde sei, um unicum na história da arte. A obra foi adquirida em 1769 por Catarina, a Grande.

Luiz Marques
16/02/2010

Bibliografia:
1962 – A. Morassi, A complete Catalogue of the Paintings of G.B. Tiepolo. Londres, Phaidon, p. 15
1998 – S. Loire, J. de Los Llanos, Giambattista Tiepolo, 1696-1770. Catálogo da exposição, Musée du Petit Palais, p. 145.

Artista

TIEPOLO, Giambattista

Data

1743-1744

Local

São Petersburgo, Museu do Ermitage

Medidas

69,5 x 89 cm

Técnica

Óleo sobre tela

Suporte

Pintura

Tema

Mitologia, História e Topografia Antigas

Período

SÉCULO XVIII

Index Iconografico

380J - Mecenas

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *