Monumento a General Osório, Parte 3

O outro relevo do Monumento a General Osório refere-se à Batalha de 24 de maio [Tuiuti], ocorrida na Guerra do Paraguai, a maior travada na América do Sul até aquele momento, e que contou com enorme carga de artilharia.

Nesta batalha, segundo Doratioto, Osório evitou que cada batalhão lutasse isoladamente, e a cavalo comandou as tropas, constituídas em grande parte por soldados improvisados por civis que viviam uma situação de combate pela primeira vez. Foi um combate que resultou no sacrifício de batalhões inteiros do lado aliado e incontáveis mortes também do lado paraguaio.

A batalha representada por Bernardelli é assim descrita pelo jornalista da Gazeta de Notícias:

“Há uma parte dele que só pode ser convenientemente vista à distância: é a estatua equestre, mas a outra não é menos digna da nossa admiração, e só de perto é licito aprecia-la em todos os seus pormenores. Referimo-nos, já se vê, aos esplendidos baixos-relevos em bronze, encravados no pedestal de granito. (…) O talento do Rodolpho Bernardelli, n´esta especialidade era já muito conhecido desde o belo baixo-relevo Martyrio de S. Sebastião, que mandou de Roma á Academia (…) Agora a missão do artista era muito mais árdua, as scenas a representar mais movimentadas, a açção violenta. (…) A batalha de 24 de maio é uma scena confusa, accidentada, palpitante de um intevelllo medonho; os grupos mesclam-se, e todavia se distinguem; as atitudes variam ao infinito, e todas ellas respiram o ardor da peleja tremenda. Em cada canto do quadro, destaca-se um episódio emocionante, e cada canto do quadro, porque aquillo é um quadro, destaca-se um episódio, e cada qual de execução mais difícil em taes proporções.”

(continua no texto que acompanha o detalhe da imagem)

Artista

BERNARDELLI, Rodolfo

Data

1894

Local

Rio de Janeiro, Praça XV de Novembro

Medidas

não disponíveis

Técnica

Bronze

Suporte

Arquitetura e Monumentos

Tema

História Medieval Moderna e Contemporânea

Período

O SÉCULO XIX NA AMÉRICA HISPÂNICA E NO BRASIL (A PARTIR DE 1822)

Index Iconografico

508A - Monumentos cívicos à glória de uma personagem

Autor

Maria do Carmo Couto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *