Na Cisterna

“Na Cisterna”, do pintor português Antonio Carvalho
da Silva Porto (1850-1893), foi exposto na 1ª Exposição do
Grêmio Artístico de Lisboa, em 1891, com o título “O Poço
Velho (Odivelas)”.

É uma obra da fase final da carreira do artista, em que ele
apresenta maior afinidade com os temas narrativos. Na
composição está registrado um momento do cotidiano da vida
dos saloios, habitantes naturais das zonas rurais em
volta de Lisboa no começo do século XX.

A tela destaca-se pelo uso habilidoso das cores, como no
azul intenso do vestido da senhora que retira água do poço,
que dialoga com as tonalidades claras do céu ensolarado. Os
tons terrosos pontuam o quadro, no chão marcado pela sombra
das árvores e nos telhados rosados e marrons claros das
casas.

O quadro passou a integrar a coleção do Museu Nacional de
Belas Artes do Rio de Janeiro, em 1909.

Maria do Carmo Couto
11/03/2011

Bibliografia:
1996 – O Grupo do Leão e o naturalismo português / curadoria
Raquel Henriques da Silva, Zuzana Paternostro; ensaios
Raquel Henriques da Silva [et al.]. São Paulo: Pinacoteca do
Estado, p.38.

Artista

SILVA PORTO, Antonio

Data

1881c.

Local

Rio de Janeiro, Museu Nacional de Belas Artes

Medidas

42,5 x 56,5 cm

Técnica

Óleo sobre papel

Suporte

Pintura

Tema

Vida Social e Gênero

Período

50 - SÉCULO XIX

Index Iconografico

1508 - O Campo e a Aldeia; 1514 - Os Trabalhos do Campo

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *