Negra com criança

“A mulher negra representada por Albert Eckhout (1610-1666) é uma escrava, com o característico porte físico de uma trabalhadora braçal das lavouras de cana-de-açúcar. Seus ombros largos bem torneados e os braços musculosos contrastam com o rosto delicado, de uma beleza calma e sensual reforçada pelos lábios carnudos e os olhos vívidos. Sua beleza se impõe como a mostrar que sobrevive apesar das penúrias que enfrenta no dia-a-dia do trabalho servil.

Eckhout mostra total domínio dos artifícios compositivos nessa pintura. Os textos que tratam de Negra com Criança são unânimes em estabelecer a não-veracidade dos meios utilizados por ele para tornar essa negra escrava em uma alegoria da beleza e força da mulher africana.

A começar pelos acessórios que ela carrega com imponência: um chapéu extremamente requintado com aba de penas de pavão, forrado em sua parte superior por pequenas conchas e algumas presas, identificado como sendo originário do Oriente (possivelmente javanês), como uma prova do intercâmbio material que se deu entre holandeses e os países orientais em virtude do comércio estabelecido pelos flamengos da Companhia das Índias; um par de brincos de pérolas com laços vermelhos; um colar de pérolas brancas em duas voltas com um pingente; um colar de contas de coral vermelho também em duas voltas; no braço direito, uma pulseira de sementes ou pérolas em seis voltas; no braço esquerdo, um bracelete de latão; preso na cintura da saia, um cachimbo de argila holandês.

Uma saia de tecido estampado quadriculado é amarrada por uma faixa vermelha. Eckhout conferiu grande importância aqui às estampas e arabescos: o cesto de palha apresenta um rico trabalho de cestaria, com desenhos geométricos feitos com palha tingida nas cores preta e vermelha sobre o fundo em tom natural da palha. Assim, há um diálogo entre as cores, principalmente entre o preto e o vermelho, e os elementos decorativos nessas cores: as faixas vermelhas no cesto harmonizam-se com a faixa de tecido vermelho amarrada na cintura da mulher, ao mesmo tempo em que ambas dialogam com o colar de coral vermelho em seu pescoço e as manchas avermelhadas na aba e em detalhes do chapéu.

O mesmo jogo cromático se estende na diagonal que liga a espiga amarelada na mão do menino e os tons de amarelo das frutas tropicais no cesto de sua mãe: bananas, laranjas e mamão. Por sua vez, a robusta criança é uma mulata, fruto dessa mãe negra e de um pai branco europeu.

Ela também possui adornos: um par de brincos de argolas nas orelhas e um colar de sementes ou miçangas pretas em três voltas. Em sua mão esquerda, talvez o elemento mais encantador e exótico da tela: uma ave ornamental conhecida como periquito-de-cara-vermelha, provavelmente originário da Costa do Ouro ou de Angola. Ele representa o elo entre Brasil e África, terra de origem da negra e do pássaro.

Além disso, por ser uma ave exótica de cores fortes e tropicais, insere-se completamente nessa combinação tão particular que Eckhout empreende em Negra com Criança, seja do ponto de vista da significação, seja do ponto de vista compositivo: o periquito-de-cara-vermelha não se faz apenas elo entre dois continentes, mas, também, elo entre as cores cítricas características do mundo tropical que se harmonizam ricamente na tela.

Por fim, no canto esquerdo da tela, ergue-se uma imponente carnaubeira. Ao fundo, dois coqueiros e um mamoeiro. No canto direito, podemos visualizar cinco homens negros trabalhando na praia, provavelmente com pesca, enquanto um deles está no topo de uma escada observando o horizonte, onde podemos ver três embarcações.

Richard Santiago Costa
11/04/2011

Bibliografia:
1990 – C. do P. Valladares, L. E. de Mello Filho. Albert Eckhout – A presença da Holanda no Brasil, século XVII. Rio de Janeiro: Edições Alumbramento.
2002 – E. van den Boogaart. “”A População do Brasil Holandês retratada por Albert Eckhout, 1641-1643″”. In, Eckhout volta ao Brasil 1644-2002. Nationalmuseet, Copenhagen, Denmark.
2002 – P. Mason. “”Oito Grandes Quadros com Pessoas das Índias Orientais e Ocidentais. A Montagem Maravilhosa de Albert Eckhout””. In, Eckhout volta ao Brasil 1644-2002. Nationalmuseet, Copenhagen, Denmark.

Artista

ECKHOUT, Albert

Data

1641

Local

Copenhagen, Museu Nacional da Dinamarca

Medidas

270 x 180 cm

Técnica

Óleo sobre tela

Suporte

Pintura

Tema

Ciência Ilustração científica e Etnografia

Período

SÉCULO XVII

Index Iconografico

1210 - Representações Etnográficas; 1210Ind - Indígenas e outras etnias americanas

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *