Nêmesis ou Die grosse Glück (A Grande Fortuna)

“Em Hesíodo (Theogonia, 223), Nêmesis é uma das terríveis filhas de Nyx, a Noite: “”Noite infantou a odiosa Morte (…). E infantou ainda Nêmesis, flagelo dos homens mortais, Noite, a perniciosa””.

Nêmesis é uma divindade que recompensa a temperança e castiga todo excesso susceptível de ameaçar o equilíbrio do universo. Um exemplo desse castigo teria sido a derrota dos persas, demasiado confiantes de sua conquista da Grécia. Em agradecimento pela vitória contra o invasor, os gregos haviam consagrado, em inícios do século V, um santuário a Nêmesis, e em seguida um grande templo em estilo dórico de que se conservam ainda as ruínas, justamente no “”demos”” de Ramnonte, uma pequena cidadela no litoral da Ática, perto de Maratona, cenário de sua vitória sobre os persas. Segundo uma lenda, estes haviam trazido um bloco de mármore de Paros para nele esculpir um troféu após a tomada de Atenas. Após o triunfo em Maratona, em 490 a.C., os gregos elevaram este santuário a Nêmesis e, mais tarde, Agorácritos, um discípulo de Fídias, teria esculpido no bloco trazido pelos persas a estátua de Nêmesis, destinada ao altar de seu templo em Ramnonte.

O único mito a que Nêmesis se associa é o de ter sido amada por Zeus. Para a ele se furtar, ela se transforma em gansa, mas Zeus tomou a forma de um Cisne e a fecundou. Nêmesis-gansa botou um ovo, achado por pastores que o deram a Leda. Deste ovo saíram os Dióscuros e Helena, causa primeira da Guerra de Tróia. Trata-se de uma variante do mito de Leda.

Na figuração de sua Nêmesis, Dürer não se pauta pelos mitos acima enunciados. Sua fonte é sabidamente o exórdio de Manto, o poema de Poliziano que, em 1482, constitui a primeira de suas Silvae, concebido como introdução a seu Comentário das Bucólicas de Virgílio. Aqui, Poliziano metamorfoseia a Fortuna na figura de Nêmesis, “”aniquiladora da desmedida esperança””, que impôs à arrogância grega a superioridade dos latinos e especialmente a de Virgílio:

Est dea: quae uacuo sublimis in aere pendens
It nimbo succincta latus: sed candida palla
Sed radiata coma: ac stridentibus insonat alis.
Haec spes imodicas premit: haec infesta superbis
Imminet: huic celsas hominum contundere mentes
Successusque datum et nimios turbare paratus
.

“”Há uma deusa que, pelo espaço, planando nas sublimes alturas, / vai, circundada por uma nuvem, mas em um manto alvo / e cachos irradiantes, e faz ressoar suas asas sibilantes. / Ela aniquila a esperança desmedida, arruína rainhadamente os soberbos, / a ela cabe esmagar as mentes altivas dos homens / e perturbar os sucessos e as fortunas excessivas””

Nêmesis é, assim, a deusa da justiça distributiva e seus atributos são a copa de ouro que recompensa o justo e a brida que refreia o intemperante. Na “”Vida de Marcantonio Bolognese””, Vasari percebe claramente o tema da obra e assim a descreve:

Alberto, non volendo essere da Luca superato né in quantità né in bontà d´opere, intagliò una figura nuda sopra certe nuvole: è la Temperanza con certe ale mirabili, con una coppa d´oro in mano et una briglia, et un paese minutissimo.

“”Não querendo ser superado por Lucas [van Leyden], nem em quantidade de obras, nem em qualidade, Albrecht [Dürer] entalhou uma figura nua sobre certas nuvens: é a Temperança””.

Imóvel em sua postura estatuína, Nêmesis exibe de modo didático as proporções canônicas do corpo humano legadas por Vitrúvio, tal como já observado por Panofsky: “”o comprimento do pé, do calcanhar à ponta do dedão, ostensivamente estendido, é a sétima parte da altura total (do calcanhar ao alto do crânio); a altura da cabeça, a partir do queixo, é a oitava parte; a altura do rosto, do queixo ao diadema, a décima parte; a a ´braça´, da ponta dos dedos (se estivessem estendidos) ao osso bem marcado do cotovelo, a quarta parte””.

Luiz Marques
18/09/2010

Bibliografia:
1943 – E. Panofsky, The Life and Art of Albrecht Dürer””. Trad. francesa, Paris, Hazan, 1987, p. 132″

Artista

DÜRER, Albrecht

Data

1501/ 1502

Local

Berlim, Kupferstichkabinett

Medidas

329 x 224 mm

Técnica

Água-forte

Suporte

Pintura

Tema

Mitologia, História e Topografia Antigas

Período

36 - SÉCULO XVI

Index Iconografico

12Jupx - Os Amores de Júpiter Zeus; 12JupxLed - Júpiter e Leda ou Nêmesis; 130 - Divindades abstratas; 130Fort - Fortuna, Tyché, Kairos, Occasio, Nêmesis

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *