Os telhados de Notre-Dame após a restauração

Charles Marville (1816-1878) atuou como gravador e ilustrador desde a década de 1830, especializando-se em paisagens. Tornou-se fotógrafo na década de 1850, época em que se associou a Blanquart-Evrard, conhecido editor, que produzia publicações ilustradas com fotografias, e tinha o objetivo de estabelecer uma espécie de corpus da arte ocidental, destinando a Marville a tarefa de realizar o inventário da arquitetura religiosa européia.

Atuando como gravador e fotógrafo, Marville explorou o tema das “viagens pitorescas” documentando, principalmente, a cidade de Paris e seus arredores, os monumentos, igrejas e palácios, e também as pontes e margens do Sena.

Por volta de 1855, a calotipia, técnica fotográfica que produzia imagens com nuances sutis, foi substituída pela placa de vidro com revestimento de colódio, com a qual era possível a obtenção de uma nitidez surpreendente. Marville passou a empregar a nova técnica e, após o fechamento da empresa de Blanquart-Evrard, continuou fazendo o inventário dos edifícios antigos, com a finalidade de conservar sua imagem antes de seu desaparecimento, e, sobretudo, para sua restauração. Documentou também as construções modernas da cidade. Em toda a França estavam surgindo novos edifícios, voltados à administração, ensino e saúde.

Durante a década de 1850, ocorreram discussões entre os arquitetos clássicos, formados na École des Beaux Arts, de ideal greco-latino, e os “diocésains”, que seguiam Viollet-le-Duc, e tentaram restaurar a arte nacional, o gótico. Nessa época estabeleceu-se ainda um estilo novo, o ecletismo, que procurava uma síntese original a partir de elementos emprestados a todos os lugares e épocas.

Marville atuou ao lado de Viollet-Le-Duc, e de seus seguidores, como Paul Abadie, documentando a construção da basílica de Monmartre e a restauração de Notre-Dame e Saint-Chapele, em Paris. Sob a administração do barão Haussmann, a cidade seria reurbanizada, tornando-se um imenso canteiro de obras. O fotógrafo trabalhou para os arquitetos, documentando as etapas de construção dos edifícios.

Nessa fotografia vemos os telhados da catedral de Notre-Dame, em Paris, após o restauro efetuado a partir de 1845 pelos arquitetos Jean-Baptiste-Antoine Lassus e Eugène Viollet-le-Duc, com as estátuas e a nova flecha, em um registro instigante, tanto pela beleza da catedral, quanto pela qualidade técnica do trabalho de Marville.

Maria Antonia Couto da Silva
10/08/2010

Bibliografia
THÉZI, Marie de. Charles Marville (1816-1878?). Paris : Centre National de la Photographie, 1996.

Artista

MARVILLE, Charles

Data

1858c.

Local

Paris, Musée des Monuments Français

Medidas

desconhecidas

Técnica

Fotografia

Suporte

Pintura

Tema

Natureza Paisagem e Arcádia

Período

50 - SÉCULO XIX

Index Iconografico

1601 - Paisagens com arquiteturas e figuras; 1603 - Paisagem urbana; Reformas urbanas e obras de engenharia

Autor

Maria Antonia Couto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *