Retrato de Giovanna Tornabuoni

Giovanna degli Albizzi desposa em 1486 Lorenzo Tornabuoni, matrimônio que marca uma reconciliação entre os Albizzi e os Medici, vinculados por estreitas relações de parentesco com os Tornabuoni. Datado de 1488 por Ghirlandaio, ele foi executado talvez em um momento imediatamente sucessivo à morte da jovem Albizzi, ocorrida naquele ano.

O retrato porta a inscrição:

Ars utinam mores animumque effingere posses !
Pulchrior in terris nulla tabella foret

“Ah, pudesses, ó arte, captar o caráter e o espírito! Quadro algum no mundo seria mais belo”

Trata-se de uma versão ligeiramente modificada de um epigrama icônico de Marcial sobre os limites da arte, que enfatiza a descontinuidade entre beleza e verdade, ao declarar ser esta inatingível por meio daquela.

O epigrama de Marcial, X, 32, de seis versos, faz o elogio do retrato do orador e general Marco Antonio Primo, seu próximo amigo e admirador (como se depreende do epigrama IX, 99) e de quem possuia um retrato que o figurava ainda jovem. Shearman faz notar um detalhe talvez não destituído de significação: a editio princeps (Ferrara 1471) traz o verbo “poder” na terceira pessoa (posset), enquanto na edição de 1482, dedicada a Lorenzo de´ Medici, o poeta dirige-se à propria arte (posses).

Aqui, o contraste de idéias, típico da forma epigramática em Marcial, serve admiravelmente a contraposição de concetti entre “ars” e o par de conceitos “mos” e “animus”, contraposição que se evidencia no jogo espacial entre a jóia e o livro no fundo do quadro.

Marcial, nota Shearman, retoma um lugar-comum presente em vários epigramas da Antologia grega que têm por tema o retrato, tal como: “Pintar a alma é difícil, captar a aparência exterior é fácil” (VI, 352). Caracterizado o topos, é preciso contudo entendê-lo no contexto da precisa situação cultural florentina dos anos 1485-1490, qual seja a da recusatio da arte pictórica por meio de uma obra-prima do retrato, operação que guarda um estreito paralelismo com a crítica da primazia da eloqüência levada a efeito por Giovanni Pico della Mirandola.

Responsável sem dúvida pela aposição do epigrama no retrato de Giovanna, Lorenzo Tornabuoni frequentava o círculo de humanistas de seu primo, Lorenzo de´ Medici, e suas relações com Pico della Mirandola parecem atestadas pelo fato de que a inscrição “Castitas Pulchritudo Amor” no verso da medalha de Niccolò Fiorentino, encomendada em 1486 para celebrar suas núpcias (“Uxor Laurentii de Tornabonis. Ioanna Albiza”), é uma variação da medalha de Pico, que trazia no verso o motto “Pulchritudo Amor Voluptas”.

Luiz Marques
03/01/2011

Bibliografia:
1992 – J. Shearman, Portrait and Poets, in Only Connect…… Art and Spectator in the Italian Renaissance, Princeton, pp. 108-148.
1992 – J.M. Pita Andrade, M.M. Borobia Guerrero, Old Masters Thyssen-Bornemisza Museum, Madri, p. 98.
1998 – R.G. Kecks, Domenico Ghirlandaio, Florença, p. 236.

Artista

GHIRLANDAIO, Domenico

Data

1488

Local

Madri, Museo Thyssen-Bornemisza

Medidas

77 x 49 cm

Técnica

Óleo sobre madeira

Suporte

Pintura

Tema

A Figura Humana Retratos e Caricaturas

Período

SÉCULO XV

Index Iconografico

1700C - Retratos Pintura; 1700C1 - Retratos Contemporâneos

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *