Retrato de Napoleão Bonaparte como Primeiro Cônsul

Nomeado Primeiro Cônsul em 1799, após o Golpe de Estado de
18 Brumário, e, em seguida, em 1802, Cônsul Vitalício até 18
de maio de 1804, quando é proclamado Imperador por um
decreto senatorial (Senatus Consultum), Napoleão
Bonaparte (1769-1821) faz-se aqui representar como Primeiro
Cônsul, posando num salão da Prefeitura de Liège (hoje sede
do Musée d´Armes), como atesta a vista da fachada da
catedral da Saint-Lambert, ao fundo.

Assinado e datado: “Ingres an XII”, este retrato retoma as
características do retrato de homem de Estado ou retrato de
aparato (State Portrait), vestido em púrpura à
maneira de um cônsul romano, com uma casaca de veludo
ornamentada em brocados em ouro e a famosa espada chamada
Régent, desenhada e cravejada de diamantes em 1803
por Étienne Nitot, que Napoleão nomeara em 1802 seu
joalheiro oficial.

Representado de pé ao lado de uma poltrona com os emblemas
da França, Napoleão repousa sua mão direita sobre uma mesa
recoberta por um espesso veludo verde com franjas em ouro,
sobre a qual se veem seu chapéu e luvas, além da pena com a
qual ele acaba de assinar um decreto.

Neste decreto se lê Faubourg d´Amercoeur rebâti (o
bairro de Amercoeur reconstruído). Trata-se de um bairro de
Liège muito bombardeado pela artilharia austríaca quando em
1794 batia em retirada diante da ofensiva das tropas
francesas, e a cuja reconstrução Napoleão reserva por meio
desse decreto a soma de 300 mil francos.

Hoje cidade da Bélgica, Liège fora desde o Tratado de
Lunéville de 1801 integrada aos Departamentos do Norte da
França, ao lado de Dunkerque, Bruges, Ghent, Antuérpia e
Bruxelas. Em 1803, Napoleão e sua esposa, Josephine de
Beauharnais, visitaram estas possessões limítrofes da França
e o Imperador enviara em seguida retratos oficiais seus a
tais cidades, em signo de comemoração de sua visita e da
pertença delas ao Império.

Encomendas oficiais do Ministro do Interior, os retratos em
questão foram pintados por Robert Lefèvre, Charles Meynier,
Marie-Guilhemine Benoist, Jean-Baptiste Greuze (1725-1805) e
Jean-Auguste-Dominique Ingres (1780-1867).

Segundo um relato reportado por Philip Conisbee, Napoleão
consentiu em posar brevemente em Saint-Cloud para Ingres
e Greuze:
 
“Acompanhado por seus oficiais, Bonaparte entrou de fato na
sala onde os artistas o aguardavam. Foi direto para eles,
examinou-os rapidamente e perguntou a seu séquito: ´São
estes os pintores que devem fazer meu retrato?´ E olhando
fixamente Ingres, que estava rito diante dele: ´Este aqui é
muito jovem. Quanto ao outro…´, e olhou o pobre Greuze em
suas mangas de rendas e seu jabot, com seu cabelo
recoberto de pó-de-arroz, seu rosto maquiado, e que se
curvara em uma mesura à maneira do século anterior – ´quanto
ao outro, esse aqui é muito velho!´ E dizendo isto, o grande
homem girou abruptamente sobre os calcanhares e se retirou,
desaparecendo nos aposentos do palácio”.
 
Ingres tinha então 24 anos e havia vencido o Prix de Rome em
1801, sem contudo viajar para Roma, por falta de fundos.
Sempre segundo Conisbee, é plausível que Ingres tenha
executado este retrato baseando-se nas feições de outro
retrato, de fato muito semelhante, pintado em 1802 por
Antoine-Jean Gros (1771-1835), hoje no Musée National de la
Légion d´Honneur et des Ordres de Chevalerie, em Paris, o
qual, por sua vez, se baseia em outro retrato-busto de Gros,
de 1796, pintado na Itália e intitulado “Bonaparte em
Arcola” (Louvre).
 
O orgulho do artista por esse retrato de juventude estampa-
se no fato de o ter obtido em empréstimo de Liège para a
exibição de sua própria obra na Exposition Universelle de
1855.

Luiz Marques
26/01/2012

Bibliografia
1999 – P. Conisbee, in G. Tinterow, P. Conisbee, Portraits
by Ingres. Image of an Epoch. Catálogo da exposição. New
York, The Metropolitan Museum of Art, pp. 46-49.

Artista

INGRES, Jean-Auguste-Dominique.

Data

1804

Local

Liège, Musée d´Armes

Medidas

227 x 147 cm

Técnica

Óleo sobre tela

Suporte

Pintura

Tema

História Medieval Moderna e Contemporânea

Período

50 - SÉCULO XIX

Index Iconografico

872.1795 - Guerras Napoleônicas; 1700C - Retratos Pintura;
1700C1 - Retratos contemporâneos

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *