S. João Evangelista aos pés da Cruz

A imagem, reproduzida aqui apenas parcialmente, mostra o último Evangelista com os braços levantados aos pés da cruz e devia, por conseguinte, fazer parte de um grande grupo com a Crucificação, da qual se conserva na mesma igreja de S. Gall também uma Madalena (171 cm).

Brokof ((1688-1731) é considerado por O.J. Blazicek, como “o mais eminente representante da escultura barroca da Boêmia em seu apogeu” (p. 82).

A escultura mantém fortes e evidentes pontos de contato com o estilo de Aleijadinho*, circunstância facilmente compreensível no âmbito dos intercâmbios entre a cultura boêmia e ibérica nos séculos XVII e XVIII. Estes vínculos, fortalecidos pelo domínio habsbúrgico comum, parecem ser aqueles através dos quais melhor se podem compreender as fontes da cultura e da poética de Aleijadinho. De resto, outro excepcional escultor boêmio, Jan Antonin Quitainer (Praga, 1709-1765), apresenta interfaces notáveis com a cultura escultórica ibérica do período e, por extensão, com a do Brasil.

Luiz Marques
07/02/2010

Bibliografia:
O. J. Blazicek, in J. Kotalik, Le Baroque en Bohême. Catálogo da exposição. Paris, Grand Palais, 1981, p. 84

Artista

BROKOF, Ferdinando Maximiliano

Data

1720c.-1731

Local

Praga, igreja de São Gall

Medidas

197 cm

Técnica

madeira de tília

Suporte

Escultura

Tema

Bíblia e Cristianismo

Período

SÉCULO XVIII

Index Iconografico

687 - S. João Evangelista; 610 - Crucificação e Imagens do Gólgota

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *