Sagrada Família com S. João Batista Menino

Registro inventarial: inv. 5527

Contrariamente a Luciano Berti e a Carlo Falciani,
estudiosos como Smyth, John Shearman e Philippe Costamagna
atribuem a execução da obra a Bronzino, a partir de um
desenho de Pontormo (1494-1557), que figura apenas o grupo
central em posição invertida (Uffizi 6729 F recto).

Não há consenso também quanto à datação. Os que a datam de
1521c. privilegiam as afinidades estilísticas com o célebre
afresco de Vertunno e Pomona pintado por Pontormo na Villa
de Poggio a Caiano entre 1519 e 1521, bem como a dependência
da obra da perdida Madonna di Porta a Pinti de Andrea
del Sarto.

Os que a datam de meados dos anos 1520 entendem que a obra
acusa já plenamente os elementos inspirados em Dürer e, em
geral, em modelos alemães, típicos dos afrescos pontormianos
da Certosa del Galluzzo, sucessivos a 1523, nos quais se
manifesta uma verdadeira fratura na poética de Pontormo,
notoriamente censurada por Vasari em sua Vida do artista
(1568).

É justamente essa proximidade com tais obras posteriores a
1523, tais como a “Cena em Emaus” dos Uffizi, que leva
Falciani, possivelmente com razão, a reforçar a atribuição a
Pontormo, já que Bronzino, “mesmo em obras de estreita
dependência do mestre, nunca se aventura tão profundamente
em experiências com línguas figurativas excêntricas”.

Particularmente “excêntrica” parece ser aqui a figura de S.
José com o cajado, que, de costas, se volta para o
espectador com expressão inquietante, recurso que prenuncia,
a distância de três séculos, o Degas florentino do “Retrato
da Família Bellelli”.

A hipótese contrária, isto é, de uma execução de Bronzino
jovem no ateliê de Pontormo, padece de uma dificuldade
acusada já por Vasari, segundo o qual Bronzino assimilou tão
profundamente o estilo de seu mestre e quase pai espiritual,
que era por vezes impossível distinguir as mãos dos dois
excepcionais pintores:

Costui [Bronzino], essendo stato molti anni col Puntormo
(…), prese tanto quella maniera et in guisa immitò l´opere
di colui,  che elle sono state molte volte tolte l´une per
l´altre, così furono per un pezzo somiglianti
.

“Este [Bronzino], tendo trabalhado muitos anos com Pontormo
(…), assimilou tanto sua maneira e tão bem imitou a obra
daquele, que muitas vezes tomam-se umas por outras, tão
semelhantes foram durante certo tempo”.

Luiz Marques
25/02/2012

Bibliografia:
1973 – L. Berti, L´opera completa del Pontormo. Milão:
Rizzoli, p. 97.
1994 – Ph. Costamagna, Pontormo. Catalogue raisonné de
l´oeuvre peint. Paris: Gallimard/Electa, pp. 321-322.
1996 – C. Falciani, in A.M. Petrioli Tofani, L´officina
della maniera. Varietà e fierezza nell´arte fiorentina
del Cinquecento fra le due repubbliche 1494-1530.
Catálogo da exposição, p. 300.

Artista

PONTORMO (Jacopo Carucci, chamado Il)

Data

1521c. / 1525c.

Local

São Petersburgo, Museu do Ermitage

Medidas

120 x 98,5 cm

Técnica

óleo sobre tela aplicada sobre madeira

Suporte

Pintura

Tema

Bíblia e Cristianismo

Período

36 - SÉCULO XVI

Index Iconografico

606A18 - A Sagrada Família; 602.26 - S. João Batista Menino

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *