Taça Farnese

“Registro inventarial: inv. n. 27611

A Taça Farnese é considerada em geral o maior e mais célebre camafeu antigo conservado. Trata-se de uma prato de libação, um phiále em ágata sardônica, executado em um ateliê de Alexandria, decerto para um rei da dinastia dos Ptolomeus, talvez entre 180 e 150 a.C..

O relevo é composto de oito figuras. A proposta de identificação mais aceita desta cena da mitologia egípcia – como o demonstra a presença em baixo, de perfil, de uma esfinge sobre a qual se senta o que poderia ser Isis com uma espiga de trigo – remonta a Ennio Quirino Visconti (1751-1818).

Tratar-se-ia de uma alegoria da fecundidade do Rio Nilo que recebe Triptolemo, herói eleusino, acólito portanto de Deméter, e primeiro a cultivar e a difundir o grão, instruído pela deusa. As figuras coadjuvantes seriam as Horai e os Ventos Etésios. No externo, há uma representação da Medusa.

Pouco ou nada se sabe sobre as vicissitudes desta preciosa obra antes do século XIII. Presume-se que tenha sido levada a Roma por Augusto em 31 a.C., que tenha rumado para Constantinopla no século IV e que tenha sido levada de volta a Roma após o saque de Constantinopla de 1204.

Parece certo, em todo o caso, que a Taça Farnese, a famosa scodella nostra, adquirida de Pietro Barbo (Paulo II) por Lorenzo de´ Medici em Roma, em 1471, fora adquirida em 1239 pelo Imperador Frederico II Hohenstaufen. Como muitas das peças da coleção de Lorenzo, dispersa em 1492, ela veio finalmente a enriquecer a coleção Farnese. No inventário Medici de 1492, ela atinge a fabulosa soma de 10 mil florins.

É plausível a sugestão de Bagemihl [1993:561], segundo a qual o Davi de Andrea del Castagno, hoje na National Gallery of Art de Washington, poderia ter como protótipo a figura central do camafeu, Triptolemo (para outros Horus ou Harpócrates).

Luiz Marques
07/01/2011

Bibliografia:
1973 – N. Dacos, A. Giuliano, U. Pannuti, Il Tesoro di Lorenzo il Magnifico. Florença, doc. XI, p. 120.
1993 – R. Bagemihl, “”The Trevisan Collection””. The Burlington Magazine, 135, 1085, pp. 559-563, p. 561.
1994 – S. De Caro, Il Museo Archeologico Nazionale di Napoli, Nápoles, Electa, pp. 340-341;
2006 – L. Fusco e G. Corti, Lorenzo de´ Medici. Collector and Antiquarian, Cambridge University Press.”

Artista

Anônimo

Data

-180/ 150 a.C.

Local

Nápoles, Museo Archeologico Nazionale

Medidas

20 cm. de diâmetro

Técnica

Ágata sardônica

Suporte

Escultura

Tema

Mitologia, História e Topografia Antigas

Período

ARTE GRECO-ROMANA

Index Iconografico

11Rio - Rios Divindades Fluviais; 11Rionil - O Nilo; 12Dem1 - Deméter, Triptolemo e os mistérios de Eleusis; 12JupxTem1 - As Horas; 11Górg - Górgonas: Esteno, Euríale e Medusa

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *