Victor Hugo no leito de morte

Chamado pela família de Victor Hugo para fotografá-lo no leito de morte, Félix Nadar executa também alguns croquis, entre os quais este, no qual se percebe uma figura sentada (Paul Nadar?), rebatendo com um espelho a fonte luminosa, e também o pano de fundo preto estendido atrás do leito, indispensável para a obtenção de contraste da silhueta e dos efeitos … Continue lendo...

Suicídio do artista em seu ateliê

O fascínio pela angústia da morte artística e física do
artista, pela morte como essência de seu destino, produzira-
se com grande radicalidade notadamente na cultura germânica.

Antes de 1817, Franz Freiherr von Maltitz escrevia:

Auf dem wahren Künstlergange
Lebt´s hienieden sich nicht lange,
Trägt in sich den Todeskern
Wahre Künstler sterben gern

“No verdadeiro caminho do artista
Aqui em … Continue lendo...

Projeto de 1513 para o Sepulcro de Júlio II

Trata-se de uma cópia, assinada por Jacopo Rocchetti, de um
desenho de Michelangelo, provavelmente autógrafo, mas em
péssimo estado de conservação, conservado em Berlim,
Staatliche Museem, Kupferstichkabinett, n. 123 (inv. 15305,
Corpus 55).

Para Hartt [1971:n.45], não se trataria de um desenho para o
contrato de 1513, mas de um desenho alternativo para o
projeto de 1505, reutilizado todavia em … Continue lendo...

Monumento funerário a Francesco Gonzaga

Localização inventarial: inv. 1420

Ainda que este desenho para o monumento funerário de Francesco II Gonzaga (morto em 1519) possa trair a colaboração de Luca Penni, a concepção do monumento é de Rafael.

O aspecto generalizadamente antiquizante do projeto oculta o fato que nada nele se baseia em qualquer modelo funerário, visual ou textual, da Antiguidade. Tampouco sua iconografia obedece … Continue lendo...

Moema, ou os funestos resultados…

“Quem, mal conhecendo as formosuras da nossa história primeva, parar um instante junto dessa esplêndida figura de mulher nua, de borco, para o sempre adormecida na onda como numa rede de balouço eterno, não voltará sem curioso desejo de saber-lhe o romance: quem era, que perfídia a lançou às águas vastas, de que morte pereceu, se por gosto a buscou, … Continue lendo...

Michelangelo ensinando anatomia aos artistas

“Registro inventarial: inv. 8472

Na Vida de Michelangelo (1568), Giorgio Vasari escreve acerca do interesse juvenil do artista pelo estudo da anatomia:

“”Fez para a igreja de Santo Spirito da cidade de Florença um Crucifixo de madeira, posto e mantido na abside do altar-mor, com aprovação do prior, que lhe pôs à disposição alguns cômodos onde, dissecando amiúde cadáveres para … Continue lendo...

Hércules do Foro Boario e fragmentos de colossos no Palazzo dei Conservatori

Localização inventarial: Kupferstichkabinett, “Taccuino” I, f. 53v.

Em sua estada romana entre 1533 e 1536, Marten van Heemskerck documenta em seu caderno de desenhos (taccuino), hoje conservado no Museu de Berlim, um grande número de esculturas antigas, dentre as quais este portentoso bronze, então exposto sobre um alto pedestal no lado direito da corte do Palazzo dei Conservatori. … Continue lendo...

Fortuna militar

Da impactante gravura de Albrecht Dürer (1501 ou 1502), a
Grosse Glück ou “Nêmesis”, deriva, nos dois primeiros
decênios do século XVI, um tema de predileção germânica, a
“A Fortuna militar”, figura alegórica da Guerra como
prostituta – Fortuna fatal ao soldado e à humanidade -, de
que dão testemunho os desenhos e gravuras do Mestre de 1515
(talvez Herman … Continue lendo...

Estudo para retrato de uma jovem

Registro inventarial: inv. 3882

Juntamente com a Dama com unicórnio*, de 1505c., na Galleria Borghese, o retrato de Maddalena Strozzi* de 1506-1507, no Palazzo Pitti, e o retrato chamado “La Muta”, de 1507c., em Urbino, este desenho do Louvre mostra o momento de maior saturação da influência da retratística de Leonardo da Vinci sobre o jovem Rafael, em especial a … Continue lendo...