Victor Hugo no Rochedo dos Proscritos

O escritor Victor Hugo apostou desde cedo nas múltiplas potencialidades da fotografia e em sua utilização no campo editorial. Durante o exílio em Jersey, encorajou seus filhos, Charles e François-Victor, e um de seus discípulos, Auguste Vacquerie, a abrirem um ateliê de daguerreótipo em sua casa, Marine Terrace, que posteriormente passou a ser um ateliê de fotografia em papel. Ele … Continue lendo...

Victor Hugo no leito de morte

“Victor Hugo morre em Paris em 22 de maio de 1885. A família
chama diversos artistas, entre os quais Félix Nadar, Léon
Bonnat, Etienne Carjat (1828-1906) e Georges Clairin (1843-
1919), para fixar o último aspecto do escritor e a cena de
sua morte, na tradição do gênero pictórico da morte heróica
(ou íntima) do artista, iniciada no século XVIII. … Continue lendo...

Vendedora de miudezas

Marc Ferrez foi o mais conceituado fotógrafo da paisagem brasileira, desde a década de 1870, e sua produção apresenta diálogo com a produção de pintores do período. Estudiosos apontam ainda a importância para Marc Ferrez do contato com a obra de fotógrafos pioneiros no país, atuantes nas décadas de 1860 e 1870, como Revert Henry Klumb, Georges Leuzinger e Victor … Continue lendo...

Uma visão dos Yanomami.

“A aproximação à fotografia que tem o indígena como protagonista é sempre um tema profundamente controverso que carrega implícita a própria visão do fotógrafo e desse `outro antropológico` visto como minoria. Neste sentido, existe um elemento inevitável ligado à visão eurocentrista do mito do bom selvagem ou `Noble Savage` que se desenvolve a partir do século XVII como parte da … Continue lendo...

Trilogia Pátria 1, 2 e 3.

Esta trilogia do fotojornalista brasileiro, Antônio Luiz Benck Vargas realizada durante os enfrentamentos entre a polícia e os estudantes no período da ditadura militar brasileira inciada em 1964, foi apresentada por vez primeira ao grande público, fora do contexto noticioso, durante a Primeira Mostra Latino-Americana de Fotografia realizada no México em 1978.

É evidente a alusão à Liberdade Guiando o Continue lendo...

Trilogia Pátria 1, 2 e 3.

O trabalho de Antônio Luiz Benck Vargas ganha destaque na década de 70. Participa da Primeira Mostra de Fotografia Latino-Americana Contemporânea, celebrada no México no ano de 1978, fazendo com que suas obras se tornem conhecidas tanto no contexto da América Latina, bem como em Nova Iorque e Paris.

Laureado no Brasil com um prêmio, em 1977, no Concurso Esso … Continue lendo...

Tomada do Forte de Copacabana pelo Coronel César Montagna durante o Golpe Militar de 1964)

Evandro Teixeira, autor desta imagem, já é um fotógrafo
experiente antes do período da ditadura, na condição de
fotojornalista profissional Jornal do Brasil, periódico que
se converterá numa escola de fotojornalistas pela alta
qualidade das fotografias em sua publicação.

Não surpreende, assim, que seja sua a foto que documenta um
dos momentos cruciais que marcam a instauração do poder
militar … Continue lendo...

Terraço do Passeio Público

“Na fotografia de Klumb vemos um menino negro sorridente que caminha em um trecho ensolarado do terraço do Passeio Público.

Nosso olhar percorre inicialmente os feixes de linhas diagonais que ornamentam o piso e percebe, à esquerda, a murada, de onde era possível avistar a baía (na época o mar chegava até o local), e os sucessivos postes de iluminação … Continue lendo...

Sumaúma em meio à Floresta Virgem

Nessa fotografia, Frisch registrou uma sumaúma em meio à floresta virgem. A maior árvore das florestas tropicais, (chega a 50 metros de altura) com raízes enormes, serve de ponto de referência para os barqueiros no Amazonas.

Encontrada nas matas de várzea e áreas periodicamente alagadas, apresenta raízes tabulares, as sapopemas, que podem atingir, dependendo da idade, comprimentos superiores a 7 … Continue lendo...