Trabalhador do mato

A litografia foi realizada para ilustrar o livro “Brasil Pitoresco”, dos franceses Charles Ribeyrolles e Victor Frond, publicado entre 1859 e 1861. Na opinião de Segala, essa imagem e também a que apresenta o “Trabalhador da roça”* afinam-se:

“com as interpretações correntes na Europa em torno da idéia do pitoresco, que, quando deslocado da paisagem para os costumes, distingue na iconografia de época o retrato etnográfico, a composição exótica ou o “charme desconcertante da miséria humana”, da rudeza das condições de vida na faina campônia, nos métiers urbanos quase em extinção”.

O interesse etnográfico está presente nessa litografia, que apresenta um personagem mestiço, de pés descalços, que usa um chapéu e vestes de tecido grosseiro. O “travailleur do mato” ou lenhador, conforme a tradução do texto original, porta um cesto, um machado e um facão.

Ribeyrolles comentou no texto do “Brasil Pitoresco”, livro associado à propaganda de imigração, que o trabalho de derrubada das matas era rude e fatal para os colonos europeus, devido às febres contraídas durante a baixa das águas dos rios. O trabalhador retratado por Frond possui, entretanto, aspecto franzino, e revela certa melancolia.

O pesquisador Stanley Stein ressalta que a derrubada das árvores era uma atividade de risco, que exigia o conhecimento da vegetação e habilidade com o machado. Para o desempenho da tarefa perigosa “os fazendeiros em geral substituíam o trabalho dos escravos valiosos pelo de homens livres, posseiros sem terra que viviam em minúsculas roças na floresta e que eram lenhadores habilidosos”. Maria Odila Dias também escreveu sobre esses trabalhadores livres, que derrubavam as matas nas regiões de fronteira e depois eram despedidos ou expulsos da terras recém-formadas.

Maria Antonia Couto da Silva
27/01/2011

Bibliografia:
1980 – Ribeyrolles, Charles. Brasil Pitoresco. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: EDUSP, [1859], v.2, p. 163.
1990 – Stein, Stanley J. Vassouras: um município brasileiro do café: 1850-1900. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, p. 58.
1990 – Aufrère, S.H. Le geste et l´image de l´homme au travail. Paris : Ed. CNMHS, p. 13 apud 1998 – Segala, Lygia. Ensaio das luzes sobre um Brasil Pitoresco: o projeto fotográfico de Victor Frond. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, p. 281.
2000 – Dias, Maria Odila L.S. “Sociabilidades sem história: votantes pobres no Império, 1824-1881”. In: HISTORIOGRAFIA brasileira em pers

Artista

FROND, V. (fotografia); CHAMPAGNE (litografia)

Data

1858/1861

Local

Brasil, várias coleções.

Medidas

desconhecidas

Técnica

Litografia

Suporte

Pintura

Tema

Vida Social e Gênero

Período

O SÉCULO XIX NA AMÉRICA HISPÂNICA E NO BRASIL (A PARTIR DE 1822)

Index Iconografico

1514 - Os Trabalhos do Campo; 1546 - A Escravidão Negra; 1548 - O Escravo e a Escravidão

Autor

Maria Antonia Couto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *