Uma mulher recolhe o sangue de Santo Aniceto

Este afresco de Ottavio Leoni (1578-1630) é parte de um
ciclo que narra a não-documentada decapitação de Santo
Aniceto, papa entre 155c. e 166.

A cena figura uma mulher em escorço no ato de recolher o
sangue do papa que acaba de ser decapitado e cujo corpo pode
ser visto à esquerda da composição. Ao fundo, vêem-se uma
ponte, um obelisco e um templo circular, indicativos
cenográficos de Roma antiga.

A piedade e a dor da personagem exprimem-se aqui com a
verdade da vida cotidiana. Ainda que tímido, é eloquente o
caravaggismo desta que parece ser a obra mais lírica de
Ottavio Leoni. Sua manifesta vontade de captar uma
tranche de vida cotidiana manifesta-se, não por
acaso, no momento em que a morte precoce de Caravaggio
(1571-1610) havia desencadeado uma intensa demanda por obras
que ecoassem sua poética.

Chamado Il Padovano, em virtude de suas origens familiares
(seu pai, Ludovico Leoni era natural de Pádua), Ottavio
Leoni participa intensamente na vida artística de Roma. Em
1601, reside com o pai na strada Paolina, na casa,
pertencente a Antonio Roncalli, em que habitavam também
Orazio e Artemisia Gentileschi, Antiveduto della Grammatica,
Rubens, Adam Elsheimer e Paul Bril.

Segundo o testemunho em justiça de Tommaso Salini, Leoni
teria sido co-autor (com Orazio Gentileschi) de versos
satíricos contra Giovanni Baglione, os quais o envolvem em
1603 no processo por difamação movido por este pintor contra
Caravaggio, de quem Leoni deixou o único retrato conservado.
Protegido, como Caravaggio, pelo Cardeal Francesco Maria
Bourbon Del Monte, seu prestígio em Roma é indubitável, como
o demonstra o fato de se tornar em 1614 principe da
Accademia di San Lucca, de que era membro desde 1604.

Hoje no interno do Palazzo Altemps, em Roma, este ciclo de
afrescos pertence à igreja da Beata Maria Vergine della
Clemenza e di Sant´Aniceto. No estado atual, a igreja data
de inícios do século XVII e os afrescos executados por Leoni
na confessio da igreja datam de 1618.

Com bem demonstrado pelos autores do guia do Museu Nazionale
Romano, Palazzo Altemps (1997), o tema da decoração vincula-
se à decapitação de Roberto Altemps por ordem de Sisto V,
sob a acusação de adultério.

Filho natural do cardeal Giovanni Angelo de Medici – papa
entre 1559 e 1565 com o nome de Pio IV -, Roberto Altemps
desposa Cornelia Orsini, parent

Artista

LEONI, Ottavio

Data

1618

Local

Roma, Museo Nazionale Romano, Palazzo Altemps

Medidas

desconhecidas

Técnica

óleo sobre parede

Suporte

Pintura

Tema

Bíblia e Cristianismo

Período

SÉCULO XVII

Index Iconografico

800 - Mártires; 806 - Imagens e Ciclos Biográficos de
santos; 806Anic - Santo Aniceto

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *