Vista da Matriz e do Santo Cruzeiro na Capital – Ceará

“Esta aquarela foi realizada por José dos Reis Carvalho quando ele acompanhava a Comissão Científica de Exploração e desenhou paisagens e igrejas. Quando foi retratada, em 1859, já haviam se passado cinco anos de sua construção, iniciada em 1838 sobre os alicerces da Antiga Sé.

Em 1861 ela foi elevada a Catedral formando um conjunto arquitetônico com a Casa do Bispo, ao fundo, e o Santo Cruzeiro, em frente. Todo o percurso histórico da Velha Catedral inicia-se pela fundação de uma aldeia de índios chamada Aldeota nas margens do Rio Pajeú, em meados de 1781. Logo após a chegada dos índios, novas construções residenciais foram aparecendo com casas de alvenaria ou carnaúba no entorno do templo construído com a ajuda deles. Mas, logo esta Antiga Sé começou a apresentar rachaduras e fora demolida a partir de 1821.

Assim, em 1838 foi autorizada a construção da Velha Catedral que se iniciou pela Capela mor; as duas portas laterais eram de madeira com duas polegadas de grossura, as paredes tinham um branco brunido e se via no interior um painel de Jesus, Maria, José pintado a óleo, em tábua de cedro. O recursos vinham de contribuições e loterias na corte que levaram à sua fundação em 1854.

Em 1870, a Velha Catedral apresentou também fortes rachaduras em sua estrutura e o teto ameaçava desabar. Uma longa discussão sobre o destino da igreja fora posto entre a remodelação e demolição do templo. Em 1938, decidiu-se pela demolição a contra gosto de uma parte da população, parte dos clérigos e dos intelectuais cearenses, pois a Velha Catedral era de estimado valor histórico para a memória e identidade do povo cearense.

Os representantes do clero ansiosos pelo progresso e permeados por valores de novidade e contemporaneidade, que já eram descritos por Alöis Riegl em “”O culto moderno aos monumentos””, decidiram pela demolição do antigo templo que ocorreu em 1938, neste dia houve missa. A Velha Catedral em estilo neoclássico do engenheiro austríaco José Antonio Seifert foi assim totalmente demolida e, no mesmo local, deu lugar à Nova Catedral em estilo neogótico projetada pelo arquiteto francês George Le Mounier.

Acima de valores históricos e de antiguidade local, a Nova Catedral de Fortaleza foi uma projeção cultural de acordo com a ideologia e o gosto estético dos representantes da sociedade que optaram por um objeto de arte inovador para a comunidade cearense.

Cláudio Alves
Unicamp

Bibliografia:

ALVES, C. J. , “”As Igrejas cearenses do século XIX nas aquarelas da Comissão Científica de Exploração: fontes para formação de uma cultura figurativa””. VI EHA – Encontro de História da Arte, UNICAMP, SP, 2010.

BRAGA, R. História da Comissão Científica de Exploração. Ceará, Imprensa Universitária do Ceará, 1962.

GOMES, Pe. Misael “”A Velha Catedral””. In: Revista do Instituto do Ceará de 1954. pp. 178-184.

Artista

REIS CARVALHO. José dos

Data

1859

Local

Rio de Janeiro, Museu Dom João VI

Medidas

24,9 x 41,2

Técnica

Aquarela

Suporte

Pintura

Tema

Ciência Ilustração científica e Etnografia

Período

50 - SÉCULO XIX

Index Iconografico

1601 - Paisagens com arquiteturas e figuras

Autor

Claudio Alves

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *