A Escola de Atenas. Detalhe: a arquitetura

Embora conferindo-lhe a forma de uma grande galeria, Rafael retoma na arquitetura da Escola de Atenas o módulo da planta central projetada por Bramante em 1506 para a nova basílica de São Pedro.

Por outro lado, a forma vazada da cobertura permite criar uma nova ambientação para a cena, sem sujeitar a monumentalidade das figuras às limitações de escala de um espaço interno. Esta solução desenvolvida por Rafael permite superar o dilema entre o espaço interno e espaço externo legado pelas pesquisas sobre a perspectiva que dominam a pintura do Quatrocentos na Itália central.

Uma primeira solução nesse sentido fora tentada com grande elegância por Domenico Ghirlandaio no afresco O Banquete de Herodes* de 1486 em S. Maria Novella em Florença. Rafael depura entretanto a solução ainda demasiado pictórica encontrada por Ghirlandaio, imprimindo-lhe uma forma genuinamente arquitetônica, dotada, além disso, de mais ampla respiração e de uma antiquarismo mais rigoroso.

Rafael é decerto encorajado neste sentido por Bramante, mas também por seus próprios estudos gráficos do Pantheon de Roma.

Luiz Marques
13/07/2010

Artista

Rafael

Data

1508/ 1510

Local

Vaticano, Stanza della Segnatura

Medidas

770 cm na base

Técnica

Afresco

Suporte

Pintura

Tema

Mitologia, História e Topografia Antigas

Período

36 - SÉCULO XVI

Index Iconografico

1100 - Alegorias Intelectuais e Morais; 1100Fil - Filosofia; 1122 - Filósofos Antigos; 1122A - A Escola de Atenas; 1134 - Platão e sua Filosofia; 1136 - Aristóteles e sua Filosofia;

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *