Brasil Pitoresco (I)

“A litografia foi publicada originalmente na Semana Ilustrada, revista fundada por Henrique Fleiuss, em 17/3/1861 e novamente em 18/2/1862. Nessa ilustração cômica foram citados temas presentes no livro Brasil Pitoresco, de autoria dos franceses Victor Frond e Charles Ribeyrolles, publicado entre 1859 e 1861, o primeiro livro de viajantes na América Latina com ilustrações realizadas a partir de fotografias. … Continue lendo...

Barco Desaparecido

O “Barco desaparecido” é uma pintura realizada pelo pintor português José Julio de Souza Pinto (1856-1939) na Bretanha, que apresenta duas mulheres em uma praia, sentadas sobre um monte de terra, que aparentemente lamentam o desaparecimento de uma embarcação no mar.

O artista inseriu na composição elementos como a âncora, com a corrente quebrada e alguns pedaços de madeira no … Continue lendo...

Bambini che scherzano com un gatto [Crianças que brincam com um gato]

Giulio Monteverde aderiu aos temas do realismo italiano realizando inicialmente obras ligadas a assuntos do cotidiano, como é possível notar em “Bambini che scherzano com un gatto” [Crianças que brincam com um gato] (1867) ou em “Putto che scherza com un gallo” [Criança que brinca com um galo] (1875).

Nesse trabalho foram retratadas as filhas do escultor. A mais velha … Continue lendo...

Autorretrato como soldado

Registro inventarial: AMAM 1950.29

Ernst Ludwig Kirchner (1880-1938) é talvez o pintor que
melhor exprimiu o espírito do expressionismo no que ele tem
de mais selvagem, primitivista e metropolitano, isto é, na
acepção que lhe confere o movimento Die Brücke, em
Dresden, entre 1905 e a I Grande Guerra.

Este autorretrato é executado quando o artista serve
voluntariamente em … Continue lendo...

As Padeiras, Mercado em Figueiró

Em “As padeiras” o pintor José Malhoa (1855-1933) retrata um evento cotidiano em Figueró dos Vinhos, a da venda de pão no mercado local. O quadro foi antecedido por um outro, “No Forno” (1897), no qual as camponesas preparam o pão.

A agitação das moças, no primeiro plano, que se encontram em frente aos grandes cestos de pão, é contraposta … Continue lendo...

Arrufos

A diversidade de temas iconográficos aos quais a obra e seu delicioso título podem ser associados é indicativa de sua ambiguidade. Um jovem elegantíssimo, contempla ausente, entre impassível e amuado, a fumaça de seu charuto, em uma atitude inflexível em relação ao choro algo novelesco de sua parceira. A rosa despetalada assume, aqui, ao mesmo tempo, uma função de metonímia … Continue lendo...

A Ultima Porta

A representação de interiores de igrejas e monastérios foi
uma constante na obra do pintor Presciliano Silva. Nesse
quadro ele registrou a entrada da sacristia da igreja do
Convento do Carmo em Salvador, Bahia.

Um senhor cabisbaixo e solitário está sentado em um banco,
com aspecto desolado, e deixou ao lado o chapéu e o guarda-
chuva. O mesmo personagem … Continue lendo...

A Redenção de Cam

O título da tela do pintor Modesto Brocos (1852-1936) é uma referência à maldição de Cam e de sua descendência, como relata o texto do Gênesis, IX 20:

“Noé começou a praticar a agricultura e plantou uma vinha. Bebeu vinho e se embriagou, ficando despido dentro da tenda. Cam, o antepassado de Canaã, viu a nudez do pai e foi … Continue lendo...

A Musique aux Tuileries (Música nas Tulherias)

Considerada por muitos historiadores o primeiro exemplo de pintura moderna “Música nas Tulherias” é um conglomerado de pessoas que se in-define sob o sol da tarde num espaço aberto mediante traços soltos, e manchas de cor, que requerem, ou melhor, impõem por vez primeira, a distancia desde a qual o espectador pode reconstruir mediante o olhar uma cena da época.… Continue lendo...