Moema, Parte 2

Em “Moema”, na visão de Luciano Migliaccio , o escultor Rodolfo Bernardelli revelou um propósito novo. Enquanto diretor da ENBA, procurou recuperar a tradição criada pelo pintor Victor Meirelles (1832-1903), modernizando-a pela referência formal a escultores contemporâneos italianos, como Medardo Rosso (1858-1928) e Vincenzo Gemito (1852-1929).

O próprio escultor comenta as possibilidades que o tema oferece em carta a Eliseu Visconti:

“(…) Volto a caceteá-lo – Pense no seu quadro, olhe que é necessário que esse seu trabalho o coloque em primeiro lugar, evite a banalidade e seja original, não se descuide de ser correto no desenho sem ser amaneirado. Estou preparando um trabalho para a exposição só para não deixar a seção de esculptura às moscas creio que achei assunto bom, é Moema morta no mar.”

Moema, por sua disposição formal, permitiu ao artista pode explorar o jogo dos pontos de vista. Um exemplo desse procedimento é que só percebemos que se trata da representação de uma morta quando nos aproximamos da escultura e vislumbramos o seu rosto por baixo do véu de água.

A obra atesta relação com importantes esculturas de figuras veladas, como o Cristo (1753) de Giuseppe Sanmartino e nos fazer perceber que “a figura deitada no chão oferece a possibilidade de variar os pontos de vista em relação à distância do espectador, da iluminação e da textura da superfície da obra”, como nota Migliaccio.

Maria do Carmo Couto da Silva
08/03/2011

Bibliografia:
2009 – L. Migliaccio. Moema cujo amor as ondas não apagaram. In: ARTE brasileira na Pinacoteca do Estado de São Paulo: do século XIX aos anos 1940. São Paulo: Cosac e Naify, Imprensa Oficial, Pinacoteca, p.69.
2010 – A. G. Miyoshi. Moema é morta. Campinas, SP : [s. n.]. Tese (doutorado) – Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, p.85
2011 – M.C. Couto da Silva. Rodolfo Bernardelli, escultor moderno: análise da produção artística e de sua atuação entre a Monarquia e a República. Campinas,SP: [s. n.]. Tese de Doutorado em História da Arte, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas/UNICAMP, p.161.

Artista

BERNARDELLI, Rodolfo

Data

1895

Local

São Paulo, Pinacoteca do Estado

Medidas

25 x 218 x 95 cm

Técnica

Bronze

Suporte

Escultura

Tema

Literatura Medieval Moderna e Contemporânea

Período

O SÉCULO XIX NA AMÉRICA HISPÂNICA E NO BRASIL (A PARTIR DE 1822)

Index Iconografico

1000SaMo - Moema

Autor

Maria do Carmo Couto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *