Retrato de D. Pedro II (em dupla exposição)

Nessa imagem vemos o imperador D. Pedro II fotografado em dupla exposição, no ambiente de sua residência no Palácio de São Cristóvão, no Rio de Janeiro. A imagem circulou como carte-de-visite, no formato 6 x 9 cm. Os retratos foram distribuídos e enviados como lembranças, integrando também álbuns expostos nas salas de estar.

As fotografias que integram coleções pertencentes a membros da família imperial incluem temas variados, entre os quais: retratos mais formais, panoramas e paisagens diversas, imagens do cotidiano, o registro do interior dos palácios e suas dependências e de solenidades do Império nas diferentes províncias.

Na opinião de Ana Mauad “em algumas imagens, como aquelas em que o imperador ou a imperatriz permitem que suas figuras sejam duplicadas e postas em frente numa mesma fotografia, fica patente o bom humor e a aceitação em desmascarar, mesmo que de brincadeira, a encenação fotográfica.”

Além do dado humorístico presente nessa imagem na qual o imperador parece “dialogar consigo mesmo” os retratos em pose duplicada realizados pelo estúdio de Carneiro e Gaspar indicam também o interesse de D. Pedro II em experimentações relacionadas à imagem fotográfica, e em divulgar imagens que se afastam do retrato tradicional presente na pintura.

Como em outras fotografias do período, o imperador apresenta-se com um “homem comum”, evitando a pose oficial. Lilia Schwarz analisou um grande número de retratos do imperador, afirmando que no Brasil:

“O próprio recurso à fotografia é original. Diferentemente da maior parte da realeza européia – a qual, nesse contexto, preferia os retratos feitos a óleo à ´imagem burguesa´ que provinha da fotografia -, D. Pedro II aliou sua nova representação à ´modernidade´ da tecnologia. Além de dedicar-se pessoalmente à fotografia, o imperador foi um grande incentivador da entrada de profissionais da área no país e passou a veicular e distribuir sua imagem sobretudo em fotos.”

Os fotógrafos Joaquim Feliciano Alves Carneiro e Gaspar Antonio da Silva Guimarães, sócios na firma Carneiro e Gaspar, também conhecida como Photographia Acadêmica, atuaram no Rio de Janeiro e em São Paulo entre 1865 e 1875.

Maria Antonia Couto
11/04/2011

Bibliografia:
1989 – L. M. Schwarz. As barbas do Imperador. Dom Pedro II um monarca nos trópicos. São Paulo : Companhia das Letras, pp. 330.
1997 – A. M. Mauad. “Imagem e auto-imagem do Segundo Império”. In: L. F. Alencastro (org.). História da vida privada – Império: A corte e a modernidade nacional. São Paulo : Companhia das Letras, 1997, pp.181-231, p. 197.
2003 – P. Vasquez. O Brasil na fotografia oitocentista. São Paulo : Metalivros.

Artista

Carneiro e Gaspar

Data

1867c.

Local

Rio de Janeiro, Col. Pedro de Orleans e Bragança

Medidas

9 x 5,7 cm

Técnica

Fotografia

Suporte

Pintura

Tema

A Figura Humana Retratos e Caricaturas

Período

O SÉCULO XIX NA AMÉRICA HISPÂNICA E NO BRASIL (A PARTIR DE 1822)

Index Iconografico

1700C1 - Retratos contemporâneos; 1376 - O Monarca, o Príncipe e o Nobre; 1380 - A Residência e a Família Aristocrática; 882 - Brasil Império; 882.1840 - Segundo Reinado

Autor

Maria Antonia Couto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *