Quatro poetas toscanos, Ficino e Landino

Registro inventarial: inv. 71.24,

Na Vida de Pontormo, Vasari escreve:

Veggendosi adunque quanta stima facesse Michelagnolo del Puntormo, e con quanta diligenza esso Puntormo conducesse a perfezzione e ponesse ottimamente in pittura i disegni e´ cartoni di Michelagnolo, fece tanto Bartolomeo Bettini, che il Buonarruoti suo amicissimo gli fece un cartone d´una Venere ignuda con un Cupido che la Continue lendo...

Psiquê levada ao Olimpo

No Asno de ouro, ou Metamorfoses (VI, 23),
Apuleio (125c.-180c.) narra como Zeus – atendendo a um
pedido de Cupido e malgrado a oposição de Vênus, contrária
às núpcias de seu filho com uma mortal – determina que
Mercúrio traga Psiquê ao Olimpo para que, divinizada, ela
possa se tornar uma esposa condigna de Cupido. Da união de
Cupido e … Continue lendo...

Pigmalião e a Estátua de Afrodite (detalhe)

“(continuação do comentário à imagem principal, veja-se:
http://www.mare.art.br/detalhe.asp?idobra=3637)

“”Estupefato, ele hesita em se rejubilar, temendo se enganar.
Sua mão apalpa mais e mais o objeto de seu desejo. É um
verdadeiro corpo! Ele sente palpitar-lhe as veias ao contato
de seu polegar. Então, o herói de Pafos rende à Vênus longas
ações de graças””.
 
Na Vita di Pontormo (1568), … Continue lendo...

Artista

Bronzino, Agnolo di Cosimo di Mariano, chamado Il
Data
1529

Pigmalião e a Estátua de Afrodite

“Registro inventarial: inv. 1890, n. 9933

A fonte textual do mito de Pigmalião e Galatea remonta a
Ovídio, Metamorfoses, X, 238-291:

Quas quia Pygmalion aeuum per crimen agentis
Viderat, offensus uitiis quae plurima menti
Femineae natura dedit, sine coniuge caelebs
Viuebat thalamique diu consorte carebat.
Interea niueum mira feliciter arte
Sculpsit ebur formamque dedit, qua femina nasci
Nulla potest; operisque
Continue lendo...

Artista

Bronzino, Agnolo di Cosimo di Mariano, chamado Il
Data
1529

Perseu e a Liberação de Andrômeda

Registro inventarial: inv. 1890 n. 1536

A cena dispõe-se em três momentos: à direita, Perseu aproxima-se, voando, levado por sandálias aladas. No centro, o herói, em posição coreográfica, apresta-se a assestar o golpe fatal no monstro marinho, clímax do combate que leva Andrômeda e o grupo de assistentes à esquerda a desviarem o olhar. Neste grupo reconhecem-se os pais da … Continue lendo...

O Presságio de Cláudio

O quadro representa uma passagem da Vida de Cláudio (Divus Claudius) de Suetônio. Tibério Cláudio Druso, imperador entre 41 e 54, é filho de Druso Maior (38-9 a.C.) e neto de Lívia Drusilla, esposa de Augusto. Considerado como um deficiente físico e mental, Cláudio não desfruta de uma posição favorável na corte de Cláudio e, em seguida, de … Continue lendo...

O Martírio dos Dez Mil

“Registro inventarial: inv. 1912 n. 182

A fonte textual do Martírio dos Dez Mil é a lenda de Santo
Acácio, reportada no Catalogus Sanctorum de Petrus de
Natalibus, um bispo veneziano do século XIV, publicado em
1493. Seu modelo é, como pensa Merrit, a lenda de S.
Mauricio e a legião tebana e sua popularidade é grande
sobretudo na Europa … Continue lendo...

O Imperador Heráclio leva a cruz de volta a Jerusalém

No mesmo ano de 1594, Ludovico Cigoli (1559-1613) pinta duas composições quase especulares desta obra, conservando-se a segunda no Convento di Santa Croce de Empoli. Não há consenso sobre qual delas é a primeira versão.

A obra representa o imperador de Bizâncio, Heráclio I (610-641), levando a cruz de volta para Jerusalém, após vencer o imperador persa Cosróes II que, … Continue lendo...

O Cristo coroado de espinhos

Entre busto e meia-figura, o Cristo aparece sobre um fundo escuro, representado após a ressurreição, como demonstram os estigmas.

Na origem, este Cristo coroado de espinhos, descoberto em 1947, integrava um díptico, tendo na aba direita uma “Mater dolorosa”, obra hoje conservada em coleção particular na Inglaterra (53,2 x 37,2 cm).

É o diálogo compassivo entre a mãe orante e … Continue lendo...

O Cristo coroado de espinhos

Entre busto e meia-figura, o Cristo aparece sobre um fundo escuro, representado após a ressurreição, como demonstram os estigmas.

Na origem, este Cristo coroado de espinhos, descoberto em 1947, integrava um díptico, tendo na aba direita uma “Mater dolorosa”, obra hoje conservada em coleção particular na Inglaterra (53,2 x 37,2 cm).

É o diálogo compassivo entre a mãe orante e … Continue lendo...