Urânia Alegoria da Astronomia

Registro inventarial: inv. T. 1940

Urânia é, simultaneamente, o nome genérico de ninfas
celestes que governam a harmonia das esferas e uma das nove
Musas, filhas de Zeus e Mnemôsine. Situada no ápice da
hierarquia das Musas, Urânia preside a astronomia e a
geometria.

Mãe, com Apolo, do poeta Linos e de Himeneu, ela tem por
atributos, sobretudo na pintura … Continue lendo...

Unidad

Premio no Segundo Salón Nacional de Pintura y Escultura em Havana em 1938, Unidad, do pintor cubano Mariano Rodríguez, aborda um dos três elementos clássicos da linguagem do artista: guajiros(camponeses cubanos) galos e frutas. Nesta obra, poética alegoria a unidade, o pintor conhecido na historiografia da arte simplesmente, como Mariano, apresenta um casal de camponeses numa paisagem rural, construídos a … Continue lendo...

Uma alma perturbada

Num bar vazio, um velho e pobre homem com a cabeça apoiada
na mão e no encosto da cadeira – fórmula gestual (ou
Pathosformel) da melancolia -, imerso em si, mostra
um semblante transfigurado por pensamentos sombrios.

Nos anos 1880, os temas da pobreza, da doença, da angústia e
da depressão são, por experiência própria, característicos
do estado de … Continue lendo...

Um ensaio no balcão do coro

Registro inventarial: Gift of George I. Seney, 1887
(87.8.12)

Inscrições: assinado no canto inferior direito.

Henri ou Henry Lerolle (1848-1929) estuda pintura com Louis
Lamothe, um discípulo de Ingres, e expõe regularmente nos
Salons a partir de 1868. Em 1890, inscreve-se entre os
refundadores da Société Nationale des Beaux-Arts, ao lado de
Meissonier, Puvis de Chavanne, Dalou e Rodin.

Além … Continue lendo...

Um domingo na tarde na ilha de Grande Jatte

“Esta obra marca o nascimento de uma nova técnica pictórica o “”divisionismo”” como o denominara o pintor ou “”puntilhismo””como se conhecera posteriormente. No lugar de misturar os pigmentos na paleta como seus contemporâneos o pintor francês George Seurat, aplica as cores primarias direitamente sobre a tela ponto, a ponto, que logo na retina do espectador tomará a forma e a … Continue lendo...

Tubal-Caim e a Alegoria da Música

“Registro inventarial: inv. n. 80

Outrora na coleção do cardeal Aldobrandini, a obra, típica
da excentricidade poética do grande pintor de Ferrara, Dosso
Dossi (1490-1542), passou em inícios do século XVII à
coleção Borghese em Roma, junto com outras célebres telas
conservadas no castelo dos Este em Ferrara.

Ela representa Tubal-Caim golpeando com seus martelos uma
bigorna, inspirado por um … Continue lendo...

Trem blindado em ação (Il treno blindato)

Registro inventarial:

Do alto de seu ateliê em Paris, Gino Severini (1883-1966),
excluído do front por causa de uma doença pulmonar, podia
ver os trens blindados que partiam para o front a partir da
estação Denfert-Rochereau. É deste posto de observação que
ele retira elementos para esta composição vertical, na qual
cinco soldados em roxo, sem rosto, despersonalizados como
peças … Continue lendo...

Toteninsel (A ilha dos mortos)

Pintada em Florença, a obra é a primeira de uma série de cinco versões do mesmo tema, que Arnold Böcklin (1827-1901) chamava “ilha silenciosa” e “ilha das tumbas” (Die Gräberinsel), sendo o marchand Fritz Gurlitt, comitente da terceira versão em 1883, que a batiza de Toteninsel.

A segunda versão encontra-se no Metropolitan Museum de New York (1880), a terceira … Continue lendo...

Torrente em uma floresta

Registro inventarial: inv. n. E 97

Trata-se do pendant de Entrada na Floresta de
Laura Bernasconi (ativa em Roma em 1674).

Veja: http://www.mare.art.br/detalhe.asp?idobra=2097

Bibliografia:
1987 – P. Le Leyzour, Italie. Histoire d`une collection
Catálogo da exposição, Paris: RMN, p. 62.… Continue lendo...