Telêmaco e Penélope diante de seu tear

Localização inventarial: inv. n. 62705

Este Skyphos (taça profunda para vinho com duas
alças) com figuras vermelhas é o vaso epônimo do Pintor de
Penélope, ativo na Ática em meados do século V a.C. e exímio
desenhista no mais puro estilo linear. O vaso mostra duas
cenas da Odisséia. No lado aqui não visível, Euricleia, a
nutriz de Ulisses – recém-chegado a Ítaca e ainda anônimo –
reconhece o amo ao lavar-lhe os pés, graças à sua cicatriz.

Na face aqui visível, Telêmaco fala à sua mãe, Penélope,
sentada diante do tear no qual tece a tela que ela não
pretende concluir, já que prometera a seus pretendentes
casar-se com um deles quando esta fosse concluída. Sua
melancolia reconhece-se pela cabeça velada e inclinada,
apoiada na mão, pelo braço esquerdo apoiado no dossal da
cadeira e pelas pernas cruzadas, posição indicativa na
iconografia grega da atitude de meditação.

A tela em vias de ser tecida representa uma curiosa figura
humana alada entre três cavalos também alados. Trata-se com
toda a probabilidade de uma adaptação com finalidade
decorativa de uma grande pintura mural, não mais
identificável.

Luiz Marques
23/05/2010

Bibliografia
2006 – A. Pasquier, in J. Clair, Mélancolie. Génie et folie
em Occident. Catálogo da exposição. Paris, p. 49

Artista

Pintor de Penélope

Data

-440a. C. circa

Local

Chiusi, Museo Archeologico Nazionale

Medidas

20,5 x 24,5 cm

Técnica

Cerâmica

Suporte

Pintura

Tema

Mitologia, História e Topografia Antigas

Período

ARTE GRECO-ROMANA

Index Iconografico

82 - Odisseia; 82pene - Penélope; 82ulis - Ulisses; 82tele -
Telêmaco

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *