A Virgem com o Menino Jesus, S. Jerônimo e S. João Batista (Sacra Conversação)

“A cena apresenta a Virgem ao centro com o Menino em seu colo, com anjos à volta. Ao lado direito, São João Batista segura a cruz com a inscrição Ecce Agnus Dei (Eis o Cordeiro de Deus) referindo-se ao menino Jesus, a quem indica com o gesto da mão direita.

No lado esquerdo, São Jerônimo ajoelhado, com seus atributos, o leão e o chapéu cardinalício, recebe a benção do menino.

A ambientação da cena apresenta claramente um confronto entre exterior e interior, marcado respectivamente pela presença da paisagem rochosa de inegável influência leonardiana, e pelo cortinado que cobre as ruínas de um templo antigo, mas com relevos marmóreos de tema bíblico, representando o Juízo de Salomão e Judite com a cabeça de Holofernes.

A obra foi anteriormente atribuída a Bernardino Lanino (1512c.-1581), a Cesare da Sesto (1477-1523) e a Salai (1480c. – 1524), antes de o ser em 1879 a Giampietrino (1470c,-1547).

Na inscrição, lê-se que Lodovica Colletti encomendou a obra em homenagem póstuma ao marido, Giovanni Simone Fornari. Proclamado cavaleiro da Ordem Hierosolimitana em 1494, na igreja de San Sepolcro em Jerusalém, Giovanni Simone Fornari foi embaixador de Luiz XII em 1499, durante a ocupação francesa de Milão, e faleceu em 1506.

A inscrição traz também a data da obra, 1521, um ano avançado em relação à data da morte de Giovanni. Este aparente atraso da execução da pintura pode ser atribuído ao turbulento momento político pelo qual passava a Lombardia. Devido às invasões francesas em Milão, iniciadas em 1499, muitos artistas locais distanciaram-se do centro lombardo e de seus comitentes habituais. Não se sabe se Giampietrino abandonou Milão.

Podem-se considerar duas explicações para a distância entre a data da morte de Giovanni Simone Fornari e a data da execução da pintura: a ausência de Giampietrino para a sua execução no momento da morte do cavaleiro, ou mesmo a probabilidade da pintura ter sido destinada a outro artista, que por razões desconhecidas não a tenha executado, sendo assim transferida a Giampietrino.

São indubitáveis as relações compositivas com obras de Cesare da Sesto, especificamente com a pintura Madona com Menino, São João Batista e São Jorge (Fine Arts Museums de San Francisco, Samuel H. Kress Collection).

Além da constante referência a Leonardo da Vinci, tanto na aplicação da técnica do sfumato na paisagem, quanto na feição de Maria e no gesto de São João Batista, se pensarmos especificamente na Virgem dos Rochedos* do Louvre.

Fernanda Marinho
20/01/2011

Bibliografia:
1935 – B. Berenson. I Pittori Italiani del Rinascimento. Traduzione di Emilio Cecchi. Milano: Ulricho Hoelpi Editore.
1998 – D. A. Brown; M. T. Fiorio; G. Bora. The Legacy of Leonardo. Painters in Lombardy 1490-1530. Milano: Skira Editore.
2003 – A. Bayer. Sixteenth Century Italian Painting in Lombardy and Emilia-Romagna. In: The Metropolitan Museum of Art Bulletin, New Series, Vol. 60. n° 4.
2007 – R. Battaglia. Leonardo e i leonardeschi. L´artista e il suo tempo. Firenze: Education. IT.

Artista

Giampietrino, Gian Pietro Rizzi, chamado

Data

1521

Local

Pavia, San Marino

Medidas

desconhecidas

Técnica

Óleo sobre tela

Suporte

Pintura

Tema

Bíblia e Cristianismo

Período

36 - SÉCULO XVI

Index Iconografico

712A - A Virgem com o Menino Jesus e Santos (Sacra Conversação); 806Jero - São Jerônimo; 602 - São João Batista;
572A - Judite e Holoferne; 540.4 - O juízo de Salomão

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *