Romeiro

A retratística não foi o gênero mais freqüente na obra do pintor Presciliano Silva. O artista utilizou o mesmo modelo em três retratos, um homem que vivia quase em estado de mendicância. A figura impressiona pelo aspecto triste e ensimesmado.

Na opinião de Clarival Valladares, o quadro traz uma imagem “que não fala e que teria muito a contar”. Por isso nesse retrato, de forma diversa do procedimento no quadro “O Trabalhista”*, o pintor incluiu alguns objetos: o cajado, a corrente com a medalha e as fitas coloridas do devoto.

Devemos destacar a maneira como o artista trabalhou os panejamentos, em “tintas ralas” e o tratamento realista conferido à figura, evidenciado pelo rosto marcado pela tristeza e as mãos de aspecto sujo.

Maria Antonia Couto
14/03/2011

Bibliografia:
1973 – C. P. Valladares. Presciliano Silva: um estudo biográfico e crítico. Rio de Janeiro: Fundação Conquista.
1983 – Q. Campofiorito. História da pintura brasileira no século XIX. Rio de Janeiro: Pinakotheke, pp. 246-253.

Artista

Presciliano Silva

Data

1946

Local

Coleção Particular

Medidas

65 x 54 cm

Técnica

Óleo sobre tela

Suporte

Pintura

Tema

A Figura Humana Retratos e Caricaturas

Período

O SÉCULO XX NA AMÉRICA HISPÂNICA E NO BRASIL

Index Iconografico

1700C - Retratos Pintura; 1700C1 - Retratos contemporâneos; 1506 - A Pobreza Urbana, o Mendigo e a Mendicância

Autor

Maria Antonia Couto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *