Busto de Fauno

Registro inventarial: inv. 1895-9-15-495

O tema do fauno ou do sátiro é frequente na Florença dos anos juvenis de Michelangelo e não é surpreendente que ele o aborde.

Na Vida de Michelangelo Vasari afirma que à vista das esculturas antigas no jardim de San Marco, Michelangelo “fez logo algumas por emulação, o que suscitou em Lorenzo grande expectativa.”

Este desenho foi descrito em 1836 como Cabeça infernal ou como Satã, com a tipologia fisionômica de um fauno e como tal descrito por Wilde [1953.n.2,3] que considera a autografia michelangiana indubitável (“beyond question”).

Embora tenha sido datado entre 1500 e 1510, o desenho pode, vincular-se a esse primeiro momento da frequentação do jardim de San Marco, documentando neste caso outra escultura de mesmo tema por parte do artista. É a opinião de Joannides, in Weil-Garris-Brandt [1999:n.13,222], para quem “não é improvável que Michelangelo tenha concebido nesse período um outro busto de sátiro para o jardim”.

A linha oval na qual se insere a figura sugere, entretanto, um estudo de ou para um relevo.

Ainda na mesma temática, e também de autoria de Michelangelo há outro desenho conservado no Ashmolean Museum de Oxford (inv. Parker 292r), datável de 1501c. que representa cabeças de fauno muito similares a um desenho a carvão de um Tritão ou um Fauno sobre a parede da Villa Michelangelo em Settignano, cuja autografia michelangiana é, entretanto, discutida.

Michelangelo retorna ao tema do fauno por volta de 1520, no desenho do Louvre 684r, outrora na coleção Mariette. Trata-se de um desenho calcado sobre outro a sanguina, que Mariette imaginou poder atribuir a Menighella. Mas se deve alertar que em 1746 o grande connaisseur francês considerava o Fauno como um desenho de juventude:

examinant la manoeuvre du dessin, je trouve que le maniement de la plume tient beaucoup de la manière de Michelange dans sa jeunesse, apud Joannides [2003:146].

“examinando a fatura do desenho, acho que o manejo da pela tem muito da maneira de Michelangelo em sua juventude”

Para Hartt [1971:n.304], trata-se de uma cabeça de gigante, não de um fauno.

Luiz Marques
08/01/2011

Bibliografia:
1933 – C. de TOLNAY, “Michelangelostudien. Jugendwerke”. Jahrbuch der Königlich-Preussichen Kunstsammlungen (Berlim), LIV, 95.
1953 – J. Wilde, Michelangelo and his studio. Italian Drawings in the Department of Prints and Drawings in the British Museum. Londres: British Museum, 1975.
1971 – F. Hartt, Michelangelo Drawings. New York: Harry N. Abrams.
1999 – P. Joannides, in K. Weil-Garris Brandt, C. Alcidini Luchinat, J. David Dreaper, N. Penny, Giovinezza di Michelangelo. Catálogo da Exposição. Florença: Artificio Skira.

Artista

Michelangelo Buonarroti

Data

1490/ 1505c.

Local

Londres, British Museum

Medidas

130 x 130 mm

Técnica

Pena

Suporte

Pintura

Tema

Mitologia, História e Topografia Antigas

Período

SÉCULO XV

Index Iconografico

134 - Faunos e sátiros

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *