Sansão e os filisteus

Em 1504, de acordo com o que foi deliberado pelos mais importantes artistas de Florença na célebre reunião promovida pela Opera del Duomo, o David de Michelangelo foi conduzido à Piazza della Signoria. Colocado à esquerda da porta de ingresso do palácio que simbolizava o poder administrativo da cidade, ocorreu quase que imediatamente a Pier Soderini, gonfaloniere perpétuo da República, a ideia de fazer-lhe um pendant (Hirst:2000).

Como era de se esperar, Soderini pretendia contar com a arte de Michelangelo para a realização da obra. Contudo, já a partir de 1505 o artista envolvia-se com o sepulcro de Júlio II e, pouco tempo depois, com os afrescos da abóbada da Sistina, o que acabaria por inviabilizar qualquer pretensão que pudessem alimentar artista e governante naquele momento.

Em todo caso, são conhecidos ao menos três desenhos, possivelmente datáveis dessa mesma época, que se relacionam à encomenda em questão (Joannides:2003). Parecem representar Hércules e Anteu, o que poderia indicar que, inicialmente, o tema imaginado para contrapor o Davi era diverso do Hércules e Caco que, mais tarde, acabaria por ser realizado por Baccio Bandinelli.

Vasari afirma que Michelangelo deu início ao projeto apenas durante o papado de Leão X, à época em que o artista estava absorvido pela gigantesca obra para a fachada de San Lorenzo em Florença. O biógrafo aretino conta, porém, que Michelangelo pretendia realizar um Hércules e Caco. Efetivamente, esse depoimento talvez tenha sido influenciado pelo fato de que, em 1525, Papa Clemente VII confiou tal encomenda a seu escultor preferido, Baccio Bandinelli, que então se pôs a esculpir justamente o Hércules e Caco que se vê hoje na frente do Palazzo Vecchio de Florença.

Quando, no entanto, os Medici foram expulsos de Florença após o Saque de Roma, Bandinelli foi temporariamente afastado da comissão, a qual foi então uma vez mais confiada a Michelangelo. Ocorre que Bandinelli, planejando fazer Caco subjugado aos pés de Hércules, havia desbastado muito do bloco de mármore em sua parte superior. Michelangelo, portanto, ficara impedido de prosseguir com sua ideia inicial, vale dizer seu Hércules e Anteu, e teria sido forçado a elaborar um novo projeto que se adequasse ao bloco já tocado por Bandinelli. Desse modo, sem a influência dos Medici e com toda a autonomia que a República lhe conferia, o artista teria alterado o tema da representação, optando então por fazer Sansão e os filisteus.

O grupo brônzeo ora apresentado, proveniente da Frick Collection mas presente também em diversas outras coleções europeias e americanas, provavelmente foi realizado a partir de um modelo de Michelangelo feito para essa encomenda. O responsável pela fundição ainda não foi reconhecido, tendo já sido propostos nomes como Pierino da Vinci, Niccolò Tribolo, Daniele da Volterra e Giambologna (veja-se o parecer de Alessandro Cecchi in Romani, 2003).

Trata-se aqui de um dos dois protótipos existentes, os quais variam levemente quanto aos detalhes e à qualidade (vejam-se os dois exemplares da coleção do Bargello em Florença). A fortuna da peça, que tanta influência exerceu sobre Daniele da Volterra, Giambologna e Tintoretto, deve-se sem dúvida à sua inovadora forma em espiral, que convida o espectador a girar em torno de seu eixo para perceber as feições de Sansão empunhado a mandíbula do asno, do filisteu entrelaçado nas pernas do herói e do outro filisteu que jaz por terra. A intenção de estabelecer um contraste em relação à frontalidade do Davi não poderia ser mais evidente, algo que, nesse sentido, está completamente ausente da obra de Bandinelli.

Alexandre Ragazzi
15/04/2011

Bibliografia
1550-1568 – G. Vasari, Le vite de´ più eccellenti pittori, scultori e architettori nelle redazioni del 1550 e 1568 – Testo a cura di Rosanna Bettarini – Commento secolare a cura di Paola Barocchi. 6 v. Florença, V, pp. 234, 247-51, VI, p. 101.
2000 – M. Hirst, “Michelangelo in Florence: ´David´ in 1503 and ´Hercules´ in 1506”. The Burlington Magazine, v. 142, n. 1169, pp. 487-492.
2003 – P. Joannides, “Two drawings related to Michelangelo´s Hercules and Antaeus”. Master Drawings, v. 41, n. 2, pp. 105-18.
2003 – V. Romani, Daniele da Volterra – Amico di Michelangelo. Florença: Mandragora, pp. 150-1.

Artista

Michelangelo Buonarroti (a partir de um modelo de)

Data

1550c.

Local

New York, The Frick Collection

Medidas

36,8 cm

Técnica

Bronze

Suporte

Escultura

Tema

Bíblia e Cristianismo

Período

36 - SÉCULO XVI

Index Iconografico

530 Sansão; 530.10 - A luta de Sansão com a mandíbula do asno

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *