Confirmação da Regra Franciscana por Honório III

A composição dispõe-se em três planos paralelos. Ao fundo, vê-se a Piazza e o Palazzo della Signoria, com o Marzocco (o leão emblemático de Florença) e a Loggia dei Lanzi, documento precioso para o conhecimento do aspecto da principal praça de Florença nesses anos.

No plano médio, o pintor criou como uma sorte de arquitetura efêmera onde se “encena” a recepção que Honório III, papa de 1216 a 1227, reservou aos franciscanos em novembro de 1223, com a bula Solet annuere. Ghirlandaio retoma em linhas gerais, nesta como em outras cenas do ciclo, os esquemas das composições afrescadas por Giotto em Assis e na igreja de S. Croce em Florença.

Ao primeiro plano, reserva-se o verdadeiro tema do afresco. De fato, situada no alto da parede de fundo da Cappella Sassetti, esta cena, por ser a mais evidente, é também a mais mundana, ostentando os mais notórios retratos do ciclo executado por Domenico Ghirlandaio e seu ateliê.

O espectador imagina que a cena franciscana é apenas um evento que momentaneamente interrompe a vida cotidiana da praça, palco onde se encena o espetáculo do poder.

No canto direito da composição, entre as duas personagens adultas, está Lorenzo de´ Medici il Magnifico (1449-1492), “confirmando” com sua presença o prestígio de Francesco Sassetti (1421-1490), que endossa uma toga vermelha cerimonial (paonazzo) e que fizera carreira desde finais dos anos 1430 como administrador do banco dos Medici. A seu lado está seu filho, Federigo, destinado à carreira eclesiástica.

À direita do Magnífico, perfila-se, endossando uma toga azul, Antonio Pucci, artífice entre 1480 e 1482 das negociações entre Sisto IV e Lorenzo de`Medici, que puseram termo à guerra entre, de um lado, Florença e, de outro, o Papado e a Nápoles aragonesa. Em 1483, seu filho, Alessandro Pucci, desposara Sibilla, filha de Francesco Sassetti.

À esquerda da composição, vêem-se os filhos de Francesco Sassetti: Galeozzo, Cosimo, e Teodoro, retrato póstumo, pois morrera em 1478.

Subindo a escada, vê-se um cortejo, à frente do qual está Angelo Poliziano com o filho mais jovem de Lorenzo, Giuliano (1479-1516), futuro Duque de Nemours. Vêm em seguida dois outros filhos, Piero, o primogênito e Giovanni, futuro papa Leão X.

Ainda na escada, vêem-se Matteo Franco, outro preceptor, e seu adversário, Luigi Pulci, homem de perfil intelectual complexo e fascinante, autor do poema Morgante, morto em 1484 e objeto neste afresco de uma homenagem póstuma, embora não gozasse mais do favor de Lorenzo.

Luiz Marques
05/01/2011

Bibliografia
1902 – A. Warburg, “Arte del ritratto e borghesia fiorentina. Domenico Ghirlandaio in Santa Trinita. I ritratti di Lorenzo de´ Medici e dei suoi familiari”. In, La rinascita del paganesimo antico. Contributi alla storia della cultura raccolti da Gertrud Bing. Milão: La Nuova Italia, 2000, pp. 109-146.
1995 – R. Kecks, Ghirlandaio. Catalogo completo. Florença: Octavo, p. 141.

Artista

GHIRLANDAIO, Domenico

Data

1482/ 1485

Local

Florença, Santa Trinita

Medidas

desconhecidas

Técnica

Afresco

Suporte

Pintura

Tema

Bíblia e Cristianismo

Período

SÉCULO XV

Index Iconografico

806 - Imagens e Ciclos Biográficos de santos; 806FraA - Francisco de Assis; 818.1216 - Honório III; 1700C - Retratos Pintura; 1700C1 - Retratos contemporâneos

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *