Capela Tornabuoni em S. Maria Novella

“Os afrescos do ciclo mariano da Capela Maior de S. Maria Novella* foram encomendados a Domenico Ghirlandaio, sob o patrocínio do banqueiro e comerciante Giovanni Tornabuoni (irmão de Lucrezia Tornabuoni, esposa de Piero de´ Medici e mãe de Lorenzo de´ Medici), que, após a renuncia de Francesco Sassetti (que ele substitui em 1484 na direção do banco dos Medici), tornara-se em outubro de 1486 o patrono da Capela Maior da igreja dos dominicanos.

Os afrescos substituem um precedente ciclo executado por Orcagna em meados do século XIV, entrementes arruinado em decorrência da umidade.

O contrato de 1. de setembro de 1485 estabelece que os trabalhos devem iniciar em maio de 1486 (o trabalho a afresco era feito durante as estações mais quentes e secas para mais rápida secagem) e concluir-se em maio de 1490.

Na Vida de Ghirlandaio, Giorgio Vasari assim se refere a essa decoração:

Questa Cappella fu tenuta cosa bellissima, grande, garbata e vaga per la vivacità de´ colori, per la pratica e la pulitezza del maneggiargli nel muro e per il poco essere stati ritocchi a secco, oltra la invenzione e collocazione delle cose; e certamente ne merita Domenico lode grandissima per ogni conto, e massimamente per la vivezza delle teste, le quali per essere ritratte di naturale rappresentano a chi verrà le vivissime effigie di molte persone segnalate.

“”Esta Capela foi considerada belíssima, grande, garbosa e formosa pela vivacidade das cores, pela proficiência e a limpeza no manejo das paredes, porque poucos são nestes afrescos os retoques a seco, bem como pela invenção e disposição das cenas; certamente Domenico merece em todos os sentidos louvor grandíssimo e sobretudo pela vivacidade dos semblantes, que, por serem retratados ao vivo, permitem aos espectadores reconhecer as efígies de muitas e assinaladas pessoas””.

Os afrescos representam, à esquerda, nove cenas da história de Maria, (de baixo para cima):
1. Expulsão de Joaquim do Templo; 2. Natividade de Maria;
3. Apresentação de Maria ao Templo; 4. Esponsais da Virgem;
5. Anunciação; 6. Adoração dos Magos; 7. Massacre dos Inocentes; 8. Trânsito e Assunção da Virgem; 9. Coroação da Virgem

À direita, seis cenas da história de S. João Batista:
1. Anúncio do anjo a Zacarias; 2. Imposição do nome do Batista; 3. S. João Batista no desento; 4. Predicação do Batista; 5. Batismo de Jesus; 6. Banquete de Herodes;

Duas cenas dominicanas: 1. S. Domingos queima os livros heréticos; 2. Morte de S. Pedro Mártir;

Enfim, os retratos dos comitentes: Giovanni Tornabuoni e Francesca di Luca Pitti. Na abóbada, os 4 Evangelistas, obra de Alessio Baldovinetti.

Os vitrais foram executados segundo cartões fornecidos por Ghirlandaio e Sebastiano Mainardi.

Como é sabido, Michelangelo, ainda adolescente, vale dizer, aos 13 anos, estava entre os garzoni que tomaram parte na execução destes afrescos. As diversas propostas de localizar sua contribuição específica permanecem, contudo, apenas hipotéticas.

Luiz Marques
04/01/2011

Bibliografia
1995 – R. Kecks, Ghirlandaio. Catalogo completo. Florença: Octavo, p. 144.

Artista

GHIRLANDAIO, Domenico

Data

1485/ 1489

Local

Florença, S. Maria Novella, Capela Tornabuoni

Medidas

desconhecidas

Técnica

Afresco

Suporte

Pintura

Tema

Bíblia e Cristianismo

Período

SÉCULO XV

Index Iconografico

600 - São Joaquim, Sant´Ana e a Infância de Maria;
602 - São João Batista, o sacerdote Zacarias e Santa Isabel;
606A - Anunciação, Nascimento e Infância de Jesus Cristo

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *