Aspecto da Guerra do Paraguai

Em 1868, Victor Meirelles (1832-1903) foi comissionado pelo Ministro da Marinha, Afonso Celso, para documentar a Guerra do Paraguai (1864-1870). Desta experiência direta do teatro da guerra resultarão, como se sabe, as grandes telas Combate de Riachuelo, Passagem de Humaitá e, após 1875, a Batalha de Guararapes, todas conservadas no Museu Nacional de Belas Artes.

Mais interessante, talvez, que as grandes máquinas de ateliê, ao menos para a sensibilidade contemporânea, são as aquarelas provavelmente executadas in loco, notações quase etnográficas da sociedade paraguaia e do exército brasileiro nesse que foi o mais sangrento conflito internacional da história da América do Sul.

Luiz Marques
28/01/2010

Bibliografia:
1988 – M. C. França Lourenço, Pinacoteca do Estado. Catálogo Geral de Obras. São Paulo, Imprensa Oficial do Estado.
1988 – J.R. Teixeira Leite, Dicionário Crítico da Pintura no Brasil, Rio de Janeiro, Artlivre, ad vocem

Artista

MEIRELLES DE LIMA, Victor

Data

1868-1870

Local

São Paulo, Pinacoteca do Estado

Medidas

205 x 282 mm

Técnica

Aquarela

Suporte

Pintura

Tema

História Medieval Moderna e Contemporânea

Período

O SÉCULO XIX NA AMÉRICA HISPÂNICA E NO BRASIL (A PARTIR DE 1822)

Index Iconografico

882.1864 - Guerra do Paraguai

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *