Os bombeiros partindo para atender a um incêndio

Em 1850, Courbet começou a pintar o quadro representando um grupo de bombeiros partindo para atender a um incêndio. Para a realização da obra monumental o artista instalou-se no 4º Batalhão de Bombeiros de Paris. Dessa época data a amizade com Victor Frond. Personagem central apresentado em primeiro plano, Frond teria atuado também na “consultoria técnica da cena”, na qual ocorre a simulação da saída dos bombeiros. Nessa tela Courbet representou, entre as sombras, um grupo hesitante entre duas indicações, dadas por uma personagem do povo e por um oficial do Regimento. O quadro de Courbet foi tema para a reflexão de vários estudiosos e na opinião de Ligya Segala inicia-se “uma situação de impasse, factual e pictórica, adensando a dramaticidade do tema, registro simbólico de tensões políticas que atravessam a Segunda República e pré-configuram o golpe de Estado de Luís Bonaparte (2/12/1851). Frond vive a crise desses dias”.

Após o golpe de Estado, Frond se rebelou, foi preso e condenado à prisão na Argélia. Courbet, após sua prisão, deixou o quadro inacabado. Frond conseguiu fugir da prisão, e passou a residir na Inglaterra, onde se dedicou à causa republicana. Viveu posteriormente em Lisboa, onde se tornou fotógrafo, viajando ao Brasil em 1857, onde realizou, juntamente com Charles Ribeyrolles, a publicação do álbum Brasil Pitoresco.

Com esse quadro, Courbet procurou elevar um acontecimento contemporâneo ao status da grande pintura. Pelos aspectos formais, como a gama cromática reduzida e os tons escuros, a obra de Courbet possui afinidade com a produção de Rembrandt, como em “A Ronda Noturna” (1642). Desejando representar o realismo urbano, Courbet escolheu a figura do bombeiro como símbolo do heroísmo da vida cotidiana.

Maria Antonia Couto da Silva
18/04/2010

Bibliografia:
1979 – J. Ziegler.”Victor Frond et les Pompiers de Courbet”. Gazette des Beaux-Arts, Tome CXII.
1999 – L. Segala. “O retrato, a letra e a história: notas a partir da trajetória social e do enredo biográfico de um fotógrafo oitocentista”. Revista Brasileira de Ciências Sociais, n.14, pp. 159-168, n.41, out.
2006 – D. Rolland. «Un pompier au secours de la République ». Historia, agosto. Disponível em : http://www.historia.fr/content/recherche/article?id=17631.
Acesso: 17/04/2010.

Artista

COURBET, Gustave

Data

1850

Local

Paris, Musée du Petit Palais

Medidas

388 x 580 cm

Técnica

Óleo sobre tela

Suporte

Pintura

Tema

Vida Social e Gênero

Período

50 - SÉCULO XIX

Index Iconografico

O trabalho e seus universos; outros universos do trabalho; Retratos - Pintura; Retratos contemporâneos

Autor

Maria Antonia Couto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *