Visitação

Registro inventarial: inv. 300

A imagem mostra o encontro de Maria e Isabel, ambas grávidas, numa paisagem. A cena é narrada em Lucas, 1: 39-42 e fala da ida de Maria da Galileia à Judeia, num prelúdio da viagem e da missão de seu filho:

“E naqueles dias, levantando-se Maria, foi com pressa às montanhas a uma cidade de Judá. E entrou em casa de Zacarias, e saudou a Isabel”

Ao escutar a alegre saudação de Maria, o filho de Isabel deu saltos em seu ventre, ao que esta respondeu:

“Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre”.

Aqui, diferentemente do que indica o texto, não há qualquer referência à casa de Isabel e o encontro se dá ao ar livre.

No primeiro plano, nota-se a atenção dispensada aos detalhes naturalísticos, enquanto ao fundo acontece o Batismo de Cristo. Dois anjos seguram as vestes de Jesus, e a figura do Eterno em glória aparece na parte superior, coroando a pequenina cena.

Vêem-se ainda os lineamentos de uma cidade sobre o horizonte de colinas. Entre as duas mulheres, correm ao fundo as águas do rio Jordão.

O comitente da pintura é Marino Branconio, que a encomenda para a igreja de São Silvestre, em L´Aquila. A escolha do tema pode estar vinculada a uma homenagem à sua esposa, de nome Elizabetta (Isabel).

A datação pode ser feita aproximadamente em se julgando que, no dia 2 de abril de 1520, o conselho da cidade de Aquila e as autoridades eclesiásticas baixaram uma ordem proibindo a reprodução da pintura, o que coloca um seguro terminus ante quem para a obra [Cavalcaselle, 1891,III:233]. O Museu do Prado a data de 1517c.

Embora os arquivos de L´Aquila lembrem o pagamento de 300 escudos a Rafael, sua autoria, como na maior parte das obras tardias, é questionada. Grande parte dos estudiosos não crê na participação de Rafael na execução, e alguns não a consideram sequer ideada pelo mestre.

Giulio Romano (1499?-1546) é um nome cogitado tanto na criação quanto na execução da pintura, mas o nome de Giovanfrancesco Penni (1496c.-1528) ainda é o mais mencionado para a execução. Oberhuber [1982] devolve a Rafael a ideação da obra, mas exclui sua participação na execução da pintura.

Retirada de São Silvestre, a obra é enviada a Madri pelo duque de Laurito, que recebera o painel do bispo espanhol em L´Aquila, Tellio de Leon. Em 1655, encontra-se no Escorial. Em 1813, está em Paris, levada pelo confisco napoleônico, mas é devolvida em 1822. Entra para o Museu do Prado em 1837. Na capela Branconio

Artista

Rafael (e ateliê)

Data

1517/ 1519c.

Local

Madri, Museu do Prado

Medidas

200 x 145 cm

Técnica

Oleo sobre madeira transplantado sobre tela

Suporte

Pintura

Tema

Bíblia e Cristianismo

Período

36 - SÉCULO XVI

Index Iconografico

606A - Anunciação, Nascimento e Infância de Jesus Cristo;
606A2 - Visitação de Maria a Isabel

Autor

Luiz Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *